Home / Capa / Antonio Giglio terá atendimento de hospital particular, diz superintendente

Antonio Giglio terá atendimento de hospital particular, diz superintendente

No começo do mês de agosto, a prefeitura de Osasco trocou a empresa que administrava o hospital municipal e a upa centro. Em dez dias, alguns problemas foram detectados e resolvidos. De acordo com a nova empresa, em 40 dias tudo deve funcionar perfeitamente no hospital municipal

O Instituto Social Saúde Resgate à Vida, nova administradora do Hospital Municipal Antonio Giglio e da UPA Centro está fazendo um levantamento de como estava a situação das duas unidades de saúde da cidade. O responsável Ricardo Emílio disse que as mudanças já começaram e serão muitas nos próximos dias.
Os problemas de acordo com o superintendente eram muitos.” O hospital tem atualmente 190 leitos, a taxa de ocupação estava em torno de 50%, ou seja, os leitos não estavam sendo ocupados”. Ricardo disse também que das cinco salas destinadas a cirurgias, três estavam inutilizadas, duas por falta de foco cirúrgico e uma com problemas estruturais. “Na próxima semana, estas salas já estarão em uso.” Outra questão levantada pela nova administradora foi a falta de comunicação entre o hospital central e as demais unidades da rede como prontos socorros e UPA’s. “Isso é ruim, pois o doente grave ficava no Pronto Socorro e não era transferido para o Hospital Central. Nós temos um Núcleo Interno de Regulação que faz toda essa regulação dos pacientes.”
Atualmente, o Hospital Central conta com 800 colaboradores e quase 300 médicos. Por mês são oito mil atendimentos e 20 mil atendimentos na UPA. “Estamos avaliando se existe a necessidade de contratar mais médicos”, diz Ricardo Emílio. Alguns espaços que estavam inutilizados no hospital foram reabertos, aumentando o número de leitos. “Vamos modernizar os serviços, num prazo curto de 40 dias, estamos informatizando tudo, o paciente chega com uma senha, e será encaminhado a todos os setores com essa senha, é um atendimento de qualidade, de hospital particular.” A parte do pronto-socorro ortopédico que estava na UPA Centro foi transferido para o Antonio Giglio. “O paciente chegava na UPA precisava fazer um cirurgia e precisava ser encaminhado para o hospital, gerava um atendimento lá e outro aqui, nós mudamos o pronto-socorro ortopédico para o hospital.”
A UTI infantil vai ser ampliada, hoje são sete leitos, mas apenas cinco funcionam, a nova administradora vai ampliar para dez leitos.
A UPA Centro vai receber melhorias também, na época da inauguração, o atendimento estimado por dia, eram para 400 pessoas, mas hoje, esse número é quase o dobro, são 800 atendimentos, com a transferência da parte de ortopedia para o hospital, esse número deve diminuir para 600, ou seja, vai quase ficar próximo ao que foi projetado. “Com essa retirada conseguimos diminuir o tempo de espera que era de três horas, nos últimos dias esse tempo passou para 40 minutos.” O superintendente disse também que o local recebeu novos equipamentos. “Nós equipamos toda a sala de emergência, com monitores, oxímetros e respiradores que estavam em déficit na unidade. O hospital está abastecido com medicamentos, a melhoria será gradativa.”
Com relação a limpeza e dedetização do local, o superintendente disse que existe uma área atrás do hospital que tem muito entulho. “Onde tem entulho, tem bicho, a licença de dedetização estava vencida, nós já fizemos um convênio com a Ecolab e está sendo retirado o entulho e faremos a dedetização.”

Hemodiálise
O superintendente disse que existia paciente que estava internado há 208 dias no hospital a espera de Hemodiálise. “Quando recebemos o hospital da antiga O.S tínhamos 15 pacientes que estavam internados há mais de 100, 200 dias. Nós imediatamente fizemos um convênio com a Unasco (Clínica que faz o tratamento), os 15 pacientes estão fazendo o tratamento e com isso liberamos leitos do hospital.”
O secretário de Saúde de Osasco, José Carlos Vido está satisfeito com a nova administradora. “Estou muito otimista e confiante com a nova Organização Social. Hoje, o Hospital integra de fato a rede de saúde do município. O diálogo está mais fácil e diversas ações que pedimos, em apenas uma semana, já estão em execução.”

Sobre Robson Donizete

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Para topo
masucci228 wildman_ernestine@mailxu.com