Home / Colunistas / Em Off

Em Off

Tinha tudo para dar certo

Prestes a ser aprovada a Emenda 06/2017, de autoria da mesa diretora, que implanta nos vencimentos dos vereadores o 13º salário. Aceita já em primeira discussão o projeto pode ser votado pela segunda vez a partir do dia 28 de novembro. Chamou a atenção que tudo correu em segredo absoluto. Ao que parece, uma forma engendrada por alguns vereadores de Osasco para disponibilizar, sem retaliação dos contribuintes, além do 13º salário, também o adicional de 1/3 das férias. E a tal ideia quase passou despercebida com a tal votação ocorrida na sessão ordinária do dia 14 de novembro, quando essa Emenda à Lei Orgânica foi aprovada pelo quase total de vereadores que estavam presentes ao plenário; dos 21, Renato Bonin (PR) votou não e outros três deixaram de votar por estar ausentes.

 

Lei autoriza, mas não escondido 

O desejo e a vontade dos senhores edis até tem certa razão. Abono anual é um direito espelhado pelo Senado, Câmara Federal, Assembleias Legislativas e diversas Câmaras Municipais. E porque não em Osasco? Mas a forma como foi arquitetada e colocada em prática não pegou bem. Via de regra, tudo que é apreciado nas sessões ordinárias e extraordinárias são devidamente tornadas públicas através das pautas publicadas no site do Legislativo e repassadas aos jornalistas, momento antes de iniciar a sessão. E dessa vez houve absoluto segredo.

 

Erros do passado 

Entender que os atuais vereadores ficaram no prejuízo. Eles recebem os mesmos R$15.031,76 mensalmente, em valores de 2012. Se não houve reajuste ao final de 2016, foi por culpa dos colegas da Legislatura passada por deixar pra última hora a decisão. A pressão popular os impediu de reajustar os valores que saltariam para pouco mais de 19 mil reais que seriam, agora, os vencimentos reajustados aos atuais vereadores. Foi, talvez essa decisão, de aprovar o 13º e um terço das férias, uma forma de compensar oito anos sem nenhum reajuste até o final de 2020. A Constituição só permite reajuste de quatro em quatro anos, numa Legislatura para valer na próxima.

 

Emidio ensaia sair a Federal 

Sem antecipar se é pré-candidato a federal ou estadual nas próximas eleições. Emidio de Souza, ex-prefeito de Osasco mostra o desejo de ser um congressista. Tudo leva a crer que o deputado estadual Marcos Martins, acabou sendo convencido a tentar nova reeleição; ele já havia ensaiado sua aposentadoria no semestre passado. Pelo menos é o que demonstram os encontros e reuniões de Marcos com Emidio, por Osasco e cidades da Região. Se minha tese estiver correta em 2018 teremos uma dobrada puro sangue, Emidio Federal e Marcos Martins estadual. Mas, e o deputado federal Valmir Prascidelli; como ficaria nessa situação? Emidio atualmente ocupa o comando das finanças do PT nacional. Cargo de suma importância dentro do partido. Anteriormente foi o presidente da sigla no Estado de São Paulo. Possivelmente Lula o quer deputado federal. E opinião de Lula, muitas vezes é uma ordem.

 

Semana da Juventude já está valendo 

Vereadores de Barueri aprovaram o Projeto de Lei 108/2017 de autoria do vereador Robertinho (SD) que institui a criação da Semana Municipal da Juventude no calendário oficial da cidade. Robertinho explica que o projeto contou com colaboração do responsável da Coordenadoria da Juventude de Barueri, Marcelo Fusco. “A semana da Juventude vai trazer seminários e oferecer espaço para discussões porque em nosso município são mais de 67 mil jovens que precisam de apoio”, reiterou o parlamentar. Por unanimidade, o projeto passa a valer assim que houver a sanção do prefeito Rubens Furlan (PSDB). Esse projeto define a realização de atividades artísticas, culturais e a realização de torneios esportivos. Além de serem abordados seminários para combate às drogas e substâncias lesivas à saúde como bebidas com álcool.

 

Moção a LGBT não foi bem vinda 

A intenção foi ótima, mas o pífio resultado desmotivou o autor da proposta que enaltecia com a Moção a 1ª Semana da Diversidade LGBT. Tinha Di Ferreira (PTB), autor da proposta, justificou a propositura através da tribuna, mas a bancada dos evangélicos tornou o plenário praticamente vazio no momento da votação. Presente ao plenário, este jornalista, notou o esvaziamento e até pediu para que houvesse uma chamada alertando o vereador Tinha Di Ferreira. De acordo com alguns o movimento foi liderado por Ribamar Silva (PRP) e apoiado por Rogério Santos (Podemos); esse da igreja católica. Os que ficaram no plenário: Lindoso (PSDB), Ricardo Silva (PRB), Dr. Renato Bonin (PR), Didi (PSDB) e Mário Luiz Guide (PSB). Sem número mínimo (sete) a Moção não foi aprovada.

 

Acompanhante em qualquer situação 

Em Osasco, foi aprovado, no início da noite de terça feira 14 de novembro de 2017, o Projeto de Lei nº 235/17, de autoria do Vereador Dr. Renato Bonin, que visa dar permissão, em qualquer caso de internação e observação, a presença de acompanhantes nas dependências das Unidades de Saúde e Hospitais da Rede Pública de Saúde de Osasco.
Independentemente da idade do paciente internado ou em observação, ficará assegurado esse direito. Para o vereador, a presença de um familiar traz benefícios à saúde do paciente, fazendo com que ele se sinta menos isolado; possibilita que a equipe de trabalho colha informações mais precisas sobre a sua vida, contribuindo para uma análise diagnóstica mais ampla e um tratamento mais saudável; ajuda na sua recuperação, pois o fato de ter a presença de um familiar ao seu lado, enquanto se encontra com a saúde debilitada, o ajudará na sua recuperação.

 

Sobre Nilson Martins

Nilson Martins é paulista, natural de Manduri. Iniciou carreira jornalística em 1977. Seu primeiro jornal foi o Grande Osasco, depois passou por vários periódicos como Diário da Região, A Rua, Tribuna Popular, Tribuna da Região, TV Esporte Mais, TV Cidade e atualmente Correio Paulista e TV Osasco. Proprietário do site QG Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Para topo
storniolo.ute@mailxu.com