Home / Colunistas / Flores e frutos

Flores e frutos

Uma menina carregava, no bolso, sementes que encontrara pelo caminho. Três sementes. Corria pela estrada poeirenta, feliz e ansiosa para chegar em casa e contar sua descoberta. Vez em quando um carro erguia ainda mais terra, avermelhando seu rosto e cabelos. A menina não se importava. Chegou e mostrou as sementes para o avô, que a ajudou a plantá-las, cada qual em um vaso diferente. Ele também estava feliz, por poder ensiná-la os cuidados que deveria ter.

Ensinou-a a regar os vasos todos os dias. Ela assim o fez. E qual sua alegria ao ver que uma das sementes, logo na primeira semana, havia germinado!

– Ah, é Maracujá! – Disse o avô. – Dará muito sabor à sua vida!

Levaram a plantinha para o quintal onde teria espaço para crescer. E cresceu. Mas secou sem dar maracujás. Triste, a menina continuou regando os outros vasos. Passaram-se alguns meses e a segunda semente também germinou.

– Esse será um belíssimo girassol! – Concluiu o avô. – Enfeitará e muito a sua vida!

Plantaram o girassol no quintal, que cresceu sem dar flor e morreu. Apesar da tristeza, a menina não se entregou. Continuou regando o último vaso. Os anos foram se passando e nada da semente germinar. A menina cresceu, tornou-se mulher e foi embora para a cidade, a fim de estudar. Levou o vaso consigo. Nem um dia sequer havia se esquecido de regá-lo.

Um dia recebeu uma ligação de casa dizendo que seu avô estava muito doente e que queria vê-la. Disseram que ele não teria muito tempo de vida. Sem pensar duas vezes, a menina, que agora era mulher, se preparou para sair no dia seguinte bem cedo. Enquanto arrumava suas coisas, viu algo inesperado: A semente do terceiro vaso havia, finalmente, germinado. Não teve dúvidas em levá-la consigo na viagem.

Chegando em casa viu o avô na cama, doente. Abraçou, beijou e acariciou-o com todo amor e carinho. Então, mostrou-lhe a boa notícia a respeito da terceira semente.

– Que coisa linda, minha querida! – emocionou-se o avô – Essa será a mais especial de todas as plantas!

A menina-mulher consentiu com o avô, mesmo não acreditando muito. Uma lágrima molhou o lençol, que foi recolhido para ser lavado no dia seguinte, já que seu dono não havia acordado mais.

A planta cresceu devagar e tornou-se uma árvore. Dava belas flores na primavera e saborosos frutos no verão. Enfim, seu avô estava certo. Aliás, sempre esteve. Quem rega o vaso da esperança todo dia sempre está, pois tudo tem seu tempo certo. E, no tempo certo, as flores e os frutos sempre virão.

Conheça outros contos de Edson Carvalho

Sobre Edson Carvalho

Edson Carvalho é músico, poeta, ator e contista com inspiração nas belezas da natureza, nos exemplos de simplicidade, alegria e gratidão amplamente encontrados em nosso povo, mas que passam, muitas vezes, sutis, discretos e despercebidos aos nossos ocupados olhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Para topo
kriegel@mailxu.com