Home / Correio2 / Cinema / O sacrifício do cervo sagrado

O sacrifício do cervo sagrado

O filme com estreia no dia 8 tem em seu elenco atores como Colin Farrell, Nicole Kidman, Alicia Silverstone, entre outros

Uma cirurgia de coração no início do filme serve para nos apresentar o cardiologista Steven (Colin Farrel), que é casado com a oftalmologista Anna (Nicole Kidman). Os dois possuem um casamento aparentemente perfeito e moram numa bela casa em um bairro nobre, com seus filhos Kim (Raffey Cassidy) e Bob (Sunny Suljic). A vida dessa tranquila família muda quando o garoto Martin (Barry Keoghan) entra em cena. Martin é filho do homem que morreu na mesa cirúrgica de Steven (naquela primeira cena citada), o que faz com que o médico passe a se encontrar frequentemente com o órfão.
No desenrolar da trama, Steven decide apresentar o garoto para sua família e em retorno à gentileza, o jovem apresenta o doutor a sua mãe (Alicia Silverstone), que claramente dá em cima dele, para seu completo desconforto. Após o ocorrido, ele se afasta gradativamente de Martin, que então passa a demonstrar obcessão pelo cirurgião e um comportamento violento surge através daí. Através de digamos “uma praga” os familiares de Steven começam a adoecer, algo que consiste em quatro etapas: Paralisia nos membros inferiores, perda de apetite, olhos sangrando e então o último estágio, a morte. Para quebrar essa “praga”, Steven deve matar um dos três, caso o contrário todos irão falecer.
A partir de então começa um grande jogo de interesse dos membros acometidos. Tudo começa de maneira sutil, sendo mais escancarado com o passar do tempo e da aproximação do último estágio. E o que antes era uma família unida e amável, vai expondo suas rachaduras de modo feio. Vale tudo para se salvar. E, é de uma ironia trágica perceber que tudo isso acontece por causa do pai, que não assume seus erros.
Com estreia no dia 8 de fevereiro “O Sacrifício do Cervo Sagrado” é um filme incômodo, que apontada o dedo ao revelar o quanto a sagrada família pode ser o antro que renderá tragédias. É uma daquelas raras obras que se propõe a desafiar os espectadores, e que ficará presente em suas mentes por um longo tempo.

Sobre Patricia Naresse

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Para topo
deidrick@mailxu.com keelyyolando