Home / Colunistas / Sem mordaça

Sem mordaça

Vestibular de pastor
Todos os dias o vereador de Osasco, Tinha di Ferreira envia mensagem do Evangelho a vários grupos da internet. Alguns internautas comentam que o vereador deve estar se preparando para dar uma mudança radical em sua vida e tornar-se um Pastor. Verdade ou mentira, só o Tinha pode confirmar.

Quem se habilita?
Nas eleições de 2014 como também nas anteriores, nenhum candidato de Osasco a deputado estadual ou federal, conseguiu ser eleito com votos exclusivos dos osasquenses. Em 2014, Marcos Martins e Celso Giglio foram reconduzidos à Assembleia Legislativa com 83.879 e 76.471 votos, respectivamente e, destes totais, Marcos Martins recebeu 37.971 votos em Osasco e Celso Giglio, 55.001. Para a Câmara Federal, Valmir Prascidelli foi eleito com 84.419 votos e recebendo 37.615 votos em Osasco. Em 2014, na somatória geral de votos recebidos pelos candidatos de Osasco à Câmara Federal e não eleitos, tivemos Rogério Lins (53.380), De Paula (20.151), Délbio Teruel (18.444), Mario Guide (11.354), Maluco Beleza (7.625), Francisco Motta (6.158) e Alexandre Castilho (4.418). Com relação a candidatos a deputado estadual não eleitos foram essas as votações; Osvaldo Verginio (46.116), Toniolo (32.461), Ana Paula Rossi (27.068), Alex da Academia (14.374), Valdomiro Ventura (10.952), Batista Comunidade (9.846), Branco (8.450), Ralfi Silva (5.352), Jhones Benserv (1.331) e Marcelinho Engraxate (556). De lá pra cá muita coisa mudou em nosso país e também em Osasco, com relação à política e políticos. Surpresas positivas e negativas nos aguardam nas eleições gerais de 2018. Quem viver, verá!

Ocupando espaço
Com o falecimento de Celso Giglio e a eleição de Rogério Lins a prefeito de Osasco e com a não candidatura de alguns políticos, há milhares de votos a serem garimpados e são essas as novidades que se apresentam no momento como possíveis candidatos: Dr. Lindoso, presidente da Câmara, Emidio de Souza, ex-prefeito, Ribamar Silva, vereador, Claudio Piteri, vice-presidente da Fundação Casa, Isabela Giglio, advogada e Jorge Lapas, ex-prefeito. Valmir Prascidelli, Marcos Martins, Ralfi Silva, De Paula e Ana Paula Rossi estão entre os que devem participar mais uma vez na disputa.

Risco de morte
Você sabia que os pombos podem transmitir uma série de doenças, entre elas, criptococose, histoplasmose, salmonelose, omitose, toxoplasmose, dermatites, alergias, psitacose e tuberculose avícola. É importante evitar contato com os pombos de rua porque as doenças causadas por eles incluem cegueira, infecções no cérebro, pulmões e intestinos. A forma mais comum de infecções causadas pelos pombos é feita pelas vias respiratórias, através da inalação das fezes secas depositadas nos mais variados locais, como carros, chão, janelas, calçadas e telhados, ou até mesmo através do piolho que pode cair sobre as pessoas quando eles voam. Em Osasco como em toda a região, a falta de predadores favorece a proliferação de pombos e mais, as pessoas alimentam os mesmos nas praças e ruas e eles convivem por perto, aumentando ainda mais os riscos para quem mora ou circula nestes locais. Com esse tempo seco que levanta a poeira, as fezes secas podem ser inaladas e até causar a morte. E no centro de Osasco, aproveitando a mesa farta da sobra de alimentos nas vias, há milhares de pombos que “habitam” nas proximidades e com certeza, transmitem doenças.

Controle de pombos
Retirar ninhos e ovos; umedecer as fezes com desinfetante antes de varrê-las; utilizar luvas e máscara ou pano úmido para cobrir o nariz e a boca ao fazer a limpeza do local onde estão as fezes; vedar buracos ou vãos entre paredes, telhados e forros; colocar telas em varandas, janelas e caixas de ar condicionado; não deixar restos de alimentos que possam servir aos pombos, como ração de cães e gatos; utilizar grampos em beirais para evitar que eles pousem; acondicionar corretamente o lixo e nunca alimentar os pombos. É muito importante para nossa saúde controlar a população desses animais na comunidade, fazendo com que eles procurem locais mais adequados para viver, com alimentação correta e longe dos perigos das cidades, onde um pombo vive em média 4 anos, enquanto que em seu ambiente natural pode viver até 15 anos.

Procura-se
Será que em Osasco, um município com cerca de 800 mil habitantes, não há alguém que ame a cidade, seja idôneo, que goste de trabalhar e tenha competência para assumir a secretaria da Indústria, Comércio e Abastecimento da prefeitura, que se encontra sem secretário e que, até o momento, quem responde provisoriamente pela pasta é o secretário de Administração Sergio Di Nizo, portanto com dupla função e responsabilidade no serviço público.

Inversão
Há comentários nos bastidores políticos de Osasco, de que o ex-prefeito Francisco Rossi deve disputar as eleições de 2018 como candidato a deputado federal e que sua filha, Ana Paula Rossi, vereadora e atual secretária da Educação, apontada hoje como provável candidata à Assembleia Legislativa, deixaria de participar da disputa. Será?

Sobre Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

*

Para topo
muschettina@mailxu.com justino_rosalee@mailxu.com