Ala Castellon exalta a raça do Basquete Osasco no Paulista


Apesar de um começo de temporada sem vitórias, o ala do time osasquense disse que o comprometimento da equipe com melhores resultados tem sido motivo de orgulho para ele


Se por um lado os primeiros resultados da temporada não foram o que comissão técnica e jogadores esperavam, por outro o comprometimento e a garra do elenco do Basquete Osasco têm sido motivo de comemoração e orgulho.
Nos últimos três jogos, o time comandado pelo técnico Enio Vecchi enfrentou equipes que disputam há anos o NBB, principal competição no cenário nacional, e saiu de quadra aplaudido em todos eles, principalmente no duelo em que perdeu por apenas um ponto (73 a 72) para o Paulistano, atual campeão brasileiro.
“Nós entramos para jogar de igual para igual contra qualquer um e os times adversários olham para Osasco com respeito, pela luta e entrega de todos do time, e assim seguiremos”, destacou o experiente ala Rafael Castellon.
Para o camisa 88 da Coruja, a torcida sempre presente aos jogos no Ginásio Geodésico tem sido um diferencial: “O osasquense é apaixonado por basquete e torce do início ao fim, independentemente do placar. Ele vem nos dando uma força incrível. Como o time está se portando em quadra, temos tudo para conseguir em breve uma vitória e será um verdadeiro presente para o nosso torcedor”, projetou.
Neste sábado (11), o compromisso do Basquete Osasco será na cidade de São José do Rio Preto, às 17h, contra o América, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Já na próxima quarta-feira (15) o time volta a jogar no Ginásio Geodésico, desta vez contra o São José, às 19h30.
“O América tem muita força quando joga em casa, mas nós sabemos da nossa capacidade, o que temos trabalhado e evoluído no campeonato. Então, os dois próximos jogos, contra América e São José serão decisivos. É entrar para vencer ou vencer”.
Castellon não esconde a satisfação de vestir a camisa do Basquete Osasco na temporada 2018. Aos 33 anos, ele acumula passagens por grandes clubes, como Bauru, Macaé e Rio Claro e é um dos mais experientes do elenco osasquense junto com o ala/pivô Cesar, que tem 37.
“Defender o Basquete Osasco está agregando de todas as formas na minha carreira. Por mais rodagem que eu tenha, sempre tem um aprendizado. Temos um técnico muito experiente, de seleção brasileira, e eu tento pegar de tudo um pouco do que é passado e levar para a carreira, para a vida. É muito importante mesclar a minha experiência e a do Cesar, por exemplo, com a juventude de atletas como Vinícius, Gegê. Estou muito confiante de que nosso time crescerá. Apesar do campeonato ser curto, já mostramos o que é o Basquete Osasco, um time aguerrido e que todos respeitam muito”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here