De Camelô a Empresária de Sucesso

Ousadia, coragem e visão são adjetivos que cabem perfeitamente para a Poderosa Claudia Costa de Souza Milezi (50), uma carioca da gema, filha única de Valter e Sueli. Ela tem dois filhos Flávio (35), Lucas (25) e um neto Ruan Miguel (8).
Na nossa conversa, que foi para lá de especial, Claúdia conta que quando menina aos oito anos colocava as crianças na sua casa para ensinar o ABC, vendo que dava certo, começou a pedir um dinheiro para os pais dessas crianças. Assim começa a jornada desse grande mulher.
Aos 12, ajudava seu pai na feira a vender sapatos, depois atendia clientes no restaurante que também era dele. “Um homem que foi um grande empreendedor e muito lutador”, recorda.
Sua mãe sempre dizia que ela não precisava trabalhar tão cedo, mas seu desejo de fazer as coisas era muito grande. “Marido de Mulher é emprego”, dizia sua mãe. Crença essa que a tornou a mulher que é hoje, e a fez nunca parar de crescer. Mas devido ao excesso de trabalho também foram três casamentos, hoje ela comenta orgulhosa que aprendeu muito com tudo isso.
O que achei mais interessante na nossa conversa foi quando ela se comparou com as pessoas que trabalhavam em um banco próximo. Ela notou que elas trabalhavam 4 horas e ganhavam mais que ela. Claudia conta que foi até a superintendência do banco e pediu um emprego, e quer saber? Ela conseguiu. E foi assim que começou sua jornada no banco Banerj.
Claudia, me disse que sempre buscava ir além, ficou sabendo de uma vaga para o Jornal do Brasil, fez a prova e passou, e lá estava essa mulher ousada, com 18 anos ganhando cerca de 10 salários mínimos na época. Mudou de área dentro do jornal, onde trabalhava a noite como revisora, e durante o dia conquistou um cargo como assistente da Secretária de Leonel Brizola, ex-governador do Rio de Janeiro, no palácio Guanabara. Ficou pasma? Eu também.

Mulheres Vitoriosas Empreendedoras é um projeto social da Claudia

Ai que as coisas começam a ficar interessantes. Ela começou a trabalhar no Banco Nacional, como secretaria de uma diretora, com apenas 22 anos. Um dia após ser notificada que seria trocada pela sobrinha da diretora, fez algo inédito, montou uma barraquinha de camelô na frente do banco na Rua 7 de Setembro. Rimos muito e ela menciona que foi de birra é claro. “Fiz na maldade, mas já pedi perdão”, comenta Claúdia. Passada a frustação pela demissão, ela percebeu que ali não era seu lugar, montou a barraca na rua onde morava, na vila Valqueire onde foi criada, se tornando a primeira camelô do seu bairro.
Claudia disse que logo após engravidou, e meses após o nascimento do filho, estava desesperada por estar parada.
Procurou emprego, entrou no telemarketing onde em pouco tempo foi contratada pelo banco Nacional tendo como acionista Alexandre Accioly, onde se tornou coordenadora e treinou toda a equipe do Call Center, conhecida hoje como Atento. “Ali teve uma semente minha”, comenta ela orgulhosa.
Sua ousadia lhe proporcionou uma das grandes oportunidades da sua vida, no seu curso de marketing um professor disse que uma empresa francesa precisava de alguém para área de marketing, sem pensar ela afirmou: “Sou essa pessoa que eles precisam”. Sem saber que essa empresa era a Citroën.
Com cara, coragem e ousadia, montou o departamento de marketing da empresa em 1993, onde pouco tempo depois se tornou gerente no Rio. Em 2004 veio para São Paulo para se tornar Diretora de Marketing. Onde liderou 22 pessoas da área de Inovação da Empresa. Com um ano de cargo, pediu demissão pois algumas coisas não a satisfaziam.
Ao invés de ir embora para o Rio, Claudia comentou comigo que algo aqui em São Paulo a chamava, e foi então que resolveu ficar com seus filhos e tentar a vida nessa cidade.
Coisas incríveis começaram a acontecer, pessoas pedindo indicação de serviços de outras pessoas e foi ali que ela enxergou uma oportunidade, começou a cobrar pela indicação e fundou em 2005 a sua empresa Comunika Comunicação e Marketing, onde se tornou uma grande empresária e atua até hoje participando inclusive de implementação de projetos inovadores como a beleza Nun Click.
Você acha que acabou? Entre seus projetos sociais com jovens, essa poderosa também fundou em 2016 o MVE – Mulheres Vitoriosas Empreendedoras, um projeto social nacional, onde capacita, inspira e desenvolve mulheres empreendedoras.
Me emocionei quando ela comentou que em um dos seus Seminários, pediu para as empreendedoras deixarem seus cartões, uma delas não tinha, pediu para que a empreendedora marcasse em um papel.
Um mês se passou e recebeu uma mensagem de agradecimento: “Sou costureira e não sabia que podia ter um cartão. Hoje divulgo meu trabalho, as pessoas me ligam por que tenho cartão de visita”. Depoimento recebido de uma das MVEs apoiadas pelo projeto.
Depois de resumir a vida da Claudia nesse artigo, pedi a ela que deixasse uma mensagem para você leitora, e em tom de emoção ela me disse: “Nunca desista da sua identidade, seja você por que sendo você, terá seus sonhos, metas e propósitos realizados, não negocie seu identidade, pois assim você vai longe. Eu vivo e acredito nisso”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here