França vai integrar ônibus, CPTM e Metrô em 2019


Candidato do PSB Márcio França, terceiro nas pesquisas eleitorais, visitou a cidade de Carapicuíba para fazer campanha e também como governador, ele quer integração de 3 horas no transporte


 

O candidato ao governo de São Paulo pelo PSB, Márcio França, anunciou que as viagens de ônibus intermunicipais serão integradas à CPTM e ao Metrô. A integração beneficia 3 milhões de passageiros, que poderão se locomover por três horas com o mesmo bilhete, como já ocorre na capital paulista. O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira (3) durante visita às obras do Terminal Rodoviário de Carapicuíba, na Grande São Paulo.
“A partir do ano que vem, todo bilhete municipal das cidades das regiões metropolitanas serão integrados aos da CPTM. Vamos integrar os dois sistemas”, afirmou. “Só não fizemos agora porque a lei eleitoral proíbe, mas a partir da eleição a gente fará em toda a região metropolitana, é tudo eletrônico e é preciso apenas adaptar o bilhete. As empresas e os municípios já concordaram”.
O novo governador confirmou ainda a liberação de verba para retomar as obras do terminal que estavam paralisadas e falou sobre investimentos em Carapicuíba e municípios vizinhos. Segundo ele, há regiões que precisam de mais atenção do que outras porque “ficaram para trás” em políticas de infraestrutura, como nas estradas, por exemplo. “A gente quer fazer o Macroanel (anel viário que passará por fora do Rodoanel), que vai permitir que essas regiões tenham desenvolvimento igual ao restante do estado. São Paulo não pode deixar ninguém e nenhuma região pelo caminho”, declarou.
Na sequência, o candidato fez uma caminhada pela cidade, acompanhado da candidata ao senado, Maurren Maggi (PSB), onde recebeu apoio de eleitores e de lideranças políticas da região.
Nos trilhos
Márcio França reiterou seu compromisso em melhorar o transporte público sobre trilhos do estado. Na CPTM, que receberá nove novos trens, a proposta é indenizar passageiros prejudicados pelas falhas e “envelopar” toda a malha ferroviária para evitar atos de vandalismo.
“Nós vamos cercar toda a extensão da CPTM, é uma obra barata e vai diminuir muito o número de problemas técnicos. Já mandei para Assembleia um projeto de lei que vai amenizar as falhas: parou o trem, o passageiro terá direito a cinco bilhetes que equivalem a 20 reais. É a maneira de reconhecer quando o serviço não está sendo bem feito. Pode ser público ou privado, mas os dois têm de ser eficientes. Se é público e tiver uma quebra, a CPTM tem que indenizar o passageiro” reafirmou.
Em relação ao Metrô, além das novas estações da Linha 5-Lilás, entregues em setembro, o candidato afirmou que vai cobrar apoio financeiro do governo federal para melhorar o sistema. “A nossa proposta é que um pedaço da CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), que todo mundo paga quando compra gasolina, venha para servir ao metrô. O governo federal nunca colocou um único centavo no metrô. É injusto porque São Paulo tem muitos moradores que são do Brasil inteiro”, ponderou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here