Greve de 1968 em Osasco recebe homenagem na Câmara dos Deputados

​Nesta terça, 10, uma sessão solene em homenagem aos 50 anos das greves de Osasco (SP) e de Contagem (MG) foi realizada na Câmara dos Deputados, por iniciativa do deputado Valmir Prascidelli (PT-SP).

Autoridades, protagonistas das greves e dirigentes dos sindicatos metalúrgicos de Osasco e Contagem estiverem presentes. Entre eles, João Joaquim Silva, secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, em 1968, membro da diretoria que foi cassada em represália ao movimento. “É um momento de muita emoção, vem tanta imagem na cabeça da gente. Não dá para esquecer lideranças importantes como José Ibrahin”, lembrando o então presidente do Sindicato.

Em 1968, José Ibrahin e Pedro Tintino foram até Contagem, conhecer a experiência da greve realizada em abril, conhecimento que contribuiu com a Greve em Osasco, em julho daquele ano. Hoje, novamente, as lideranças se reuniram para fortalecer a aliança contra o retrocesso atual, que retira direitos. Entre elas, os presidentes Jorge Nazareno (Osasco) e Geraldo de Araújo (Contagem), que recuperou a história do movimento mineiro.

Jorge cobrou que o parlamento brasileiro revise a reforma trabalhista. “É inaceitável que este parlamento tenha aprovado uma reforma trabalhista como aprovou. A nossa luta é para que possamos revisar isso, que cada deputado vá a campo consultar suas bases e ver o que elas pensam disso”, defendeu.

O deputado Valmir Prascidelli foi na mesma direção. “[a sessão solene] é uma singela homenagem, mas muito importante que prestamos aos protagonistas das greves de Osasco e de Contagem, que paralisaram e ocuparam as fábricas e levaram ao mundo o grito contra a ditadura. Neste momento de grande retrocesso, nós precisamos além de homenagear, dar apoio para aqueles que lutam e defendem suas entidades”.

Também participaram os deputados Erika Kokai (PT), Jô Moraes (PCdoB), Vicentinho (PT).

A Greve de Osasco – Em 16 de julho de 1968, o famoso soar do apito da Cobrasma, às 8h30, foi a senha para que 2 mil trabalhadores cruzassem os braços e iniciassem a ocupação da empresa, sob o comando da comissão de fábrica. Colocavam em prática um plano motivado pela indignação com as condições de trabalho e com a ditadura civil-militar, alicerçado na organização de base e arquitetado a muitas mãos: Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, Frente Nacional do Trabalho, padres operários, operários estudantes, comissão de fábrica.

Ainda no dia 16, o movimento se alastrou para a Lonaflex e, no dia seguinte, chegou a Braseixos, Barreto Keller, Fósforos Granada, Brown Boveri e se tornou um exemplo para todo o Brasil, fazendo de Osasco referência nacional na luta dos trabalhadores. Somente dez anos depois é que os trabalhadores conseguiram se organizar novamente num forte movimento de resistência, no ABC paulista.

 

Repressão – Tamanha afronta foi duramente reprimida pela ditadura civil-militar, que, para isso, se valeu de sua associação com as empresas. Trabalhadores foram presos, torturados, seus nomes foram colocados em listas sujas. O Sindicato sofreu a segunda intervenção, em 18 de julho de 1968. Mas o exemplo ficou e a nossa luta também.

1 COMENTÁRIO

  1. Mais um motivo de vergonha para Osasco!! Esses vagabundos socialistas, parasitas do povo, criminosos à luz do dia, foram se locupletar mais uma vez, e usaram o parlamento para sua verborragia sinistra e mentirosa. O epíteto de “referência nacional na luta dos trabalhadores” é sim um motivo de vergonha para a cidade. Nenhuma pessoa decente e católica comemora um engodo desses. Os revolucionários e guerrilheiros que enodoaram o país lutavam contra o verdadeiro Brasil, o Brasil Terra de Santa Cruz, pois queriam uma ditadura do proletariado, tirânica e promotora da mediocridade, negadora de nosso passado admirável como distrito de São Paulo e negadora de nossa não menos admirável ligação com Portugal no tempo das colônias. Essa gente é doente!! Eu não pago meus impostos para esses criminosos membros da quadrilha chamada PT e congêneres ocupem espaços na vida pública. Eles são responsáveis pela maldição em que Osasco caiu, pois a podridão de que se valem esses VAGABUNDOS também se chama Teologia da Libertação e lotearam parte da Santíssima Igreja Católica para propósitos negadores de sua origem divina. São pessoas odiosas esses pançudos cheios de manha espertalhões e fantoches de Satanás. Mas eles estão com os dias contados. As pessoas estão cada vez mais contra eles e isso só vai aumentar. Terão de ser extraditados para o Oriente Médio, colocá-los sob o Talibã dos perversos islâmicos, pois os afins têm de estar juntinhos, dividindo o saco de sal diário e pagando por seus pecados. Nem existiu ditadura militar no Brasil. Tudo em que eles se apoiam não se constata na realidade, é tudo invenção de gente gananciosa e nada disposta a ganhar a vida honestamente. Falseiam acontecimentos, coagem o semelhante, só pensam em revolução, justiça social, essas coisas que ninguém quer saber, até porque a tal “justiça social” é nada mais do que gente encostada em sindicato e em movimento social fazer seu pé de meia com o bolso alheio. Tem de ter pena de morte para quem se alia a partidos e movimentos de esquerda, ser confinados em hospício à noite e de dia quebrar pedrar para aprender humildade na marra. Chega de VAGABUNDOS pensando e decidindo coisas neste lindo país. Chega, chega. Ninguém aguenta mais. O socialismo, o comunismo e a teologia da libertação têm de ser criminalizados e seus promotores banidos da vida pública até morrer. Não deve ser dada nova chance para gente desse tipinho. Isso seria oportunamente exemplar para coibir espertalhões e fanfarrões de tentarem algo semelhante no futuro. E se o jornalismo se recusa a levar adiante, e para cima na hierarquia social, o posicionamento das pessoas de bem, católicas, então o jornalismo não serve para nada. Vocês só tem espalhado o fedor das bundas dos poderosos sem os quais vocês não vivem, em nossos narizes e provocado divisões funestas no povo. Chega de VAGABUNDAGEM
    de redação, VAGABUNDAGEM de estúdio, VAGABUNDAGEM de link ao vivo etc. Vocês também aí atrás de seus teclados, gravadores e bloquinhos são culpados do atoleiro que se tornou Osasco, esta grande ilusão feiosa e de baixa qualidade. Acordem seus frouxos, a vida é uma só, e o que terão para apresentar a Nosso Senhor Jesus Cristo quando chegar a hora?! Muita iniquidade. Que Nossa Senhora do Carmo os proteja e converta. Rogai por nós, Santa Maria, causa de nossa alegria!! O dia 16 de julho de 1968 não tem nada de “aniversário de 50 anos das greves”, é o sagrado dia de Nossa Senhora do Carmo e de seu magnífico escapulário. Vergonha para esses VAGABUNDOS que deveriam ter estado a rezar a Novena de Nossa Senhora do Carmo nove dias antes e pensando em receber a imposição do Santo Escapulário na mencionada data, em comungar bem na Solenidade da aparição da Virgem Maria a São Simão Stock em vez que ler cartilhas revolucionárias, fazer reuniões em locais mocozados e sem trabalhar na vida. Senhor Jesus, curai, através de Nossa Senhora, os males dessa geração de lutadores que escolheram o mal porque achavam o bem e a Verdade Divina um luxo. Tende piedade, Senhor, de vosso povo sofrido e enganado terrivelmente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here