Impasse entre Prefeitura e Exército impede pavimentação de via no KM 21 em Osasco

Uma antiga área ocupada por moradores com campos de futebol e até por estábulos, foi transformada no Conjunto Habitacional Miguel Costa. A parceria entre a prefeitura e o governo federal promoveu a construção de 960 apartamentos, cerca de 5 mil pessoas serão beneficiadas em breve.

Na área onde está o conjunto habitacional para se ter acesso à avenida dos Autonomistas,  ônibus, trens e comércio é necessário acessar a passarela do terminal km 21, ou terminal Miguel Costa, já os veículos precisam trafegar por uma estradinha de terra, que já existe há décadas. A empresa que está construindo o complexo habitacional, já fez as calçadas, bueiros e sarjetas. Ela fez a pavimentação por cerca de 250 metros, só que num dado momento, o exército interrompeu a construção, o capitão de um dos quarteis apresentou uma notificação extrajudicial, impedindo o término dos 200 metros restantes para concluir a obra.

A prefeitura apresenta documentos, dizendo ser proprietária da área que está sendo pavimentada. A construtora foi impedida de terminar a obra pela segunda vez na semana.

O Exército está relutante, alegando que ocupar o Conjunto Habitacional comprometeria a segurança da unidade militar.

A prefeitura, união e exército terão que entrar em acordo para que os moradores sejam beneficiados.

 

PARA ENTENDER O CASO

. O Conjunto Miguel Costa é um projeto do governo federal em parceria com a Prefeitura e teve início em 2016. Na área onde os prédios foram construídos, havia uma comunidade carente, vivendo em moradias muito precárias.

Essas famílias chegavam ao terreno pelo acesso de nível da estação de trem – onde há uma cancela – que dá acesso a uma via pública (entre o Quartel do Exército e a linha férrea)

. O Conjunto Habitacional, construído para atender a demanda habitacional, abrigará a população que já morava na área, além de moradores do Rochdale e do Jardim Santa Rita.

. Foram realizadas inúmeras reuniões entre Prefeitura e integrantes do Exército. A última reunião entre as partes ocorreu em outubro, onde foram apresentados os estudos da Prefeitura para acesso dos futuros moradores ao Conjunto Habitacional Miguel Costa:

1 – construção de um túnel,

2 – viaduto transpondo a Avenida dos Autonomistas e passando sobre a linha férrea, e

3 – nova saída pela extensão da avenida Marginal (Avenida das Nações Unidas)

A extensão da avenida mostrou-se como a alternativa técnica e financeiramente mais viável e rápida. Para a extensão dessa via seria necessário a seção de área da União/Exército de aproximadamente 340 metros de comprimento e 15 metros de largura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here