Lindoso diz que economizou R$ 31 milhões em dois anos de presidência na Câmara


O presidente da Câmara de Osasco Elissandro Lindoso disse que a economia se deve aos ajustes administrativos feitos em sua gestão, entre eles, a diminuição de assessores e mudança de prédio


 

Na última quarta, o presidente da Câmara de Osasco, Elissandro Lindoso (PSDB) fez uma prestação de contas do seu mandato. No final de dezembro, ele deixará a presidência da casa. Um dos pontos principais abordados pelo político foi as medidas tomadas por ele que resultaram em uma economia de R$ 31 milhões. “O mais importante é que nós vamos devolver esse dinheiro à prefeitura, para que ela possa investir em Saúde, Educação e Segurança. ”
Segundo o próprio presidente, a condução dele como presidente da casa de leis osasquense deve ser lembrada como uma política de coragem e austeridade, entre as medidas adotadas por Lindoso e que levaram a uma economia recorde, estão: Controle de ponto eletrônico por biometria, horas extras foram substituídas por banco de horas. O presidente reduziu o número de assessores pela metade, passando de 16 para 8. Os telefones corporativos foram cortados, todos os contratos foram revisados e três prédios pertencentes à Câmara foram devolvidos. “Nós gastávamos R$ 63 mil por mês com estes prédios que não nos atendiam perfeitamente”. Lindoso alugou um prédio novo ao lado da Câmara Municipal na Avenida dos Autonomistas. O aluguel deste novo equipamento que reúne todos os gabinetes, salas de reuniões e estacionamento chega a R$ 27 mil por mês. “Eu termino este mandato realizado, eu peguei esta casa desacreditada, e estou aliviado. Não foi fácil, aqui nós recebemos denúncias, atrás de denúncias, eu termino a gestão com apenas um inquérito, uma coisa descabida, mas quem está na vida pública, não pode ser frouxo. Eu peguei uma avenida completamente esburacada, nós pavimentamos, deixamos ela perfeita, o próximo presidente, só precisa pegar o carro e andar, se souber fazer, vai longe. ”

Lindoso x Libânia
O presidente também falou sobre o processo envolvendo ele e a presidente da OAB Osasco Libânia Aparecida. A advogada foi acusada pelo político de suborno. “Isto está na justiça. Eu fiz o que é certo. Fui muito criticado por isso, acredito que porque eu fui na contramão do que acontece na política. Existem muitos acordos silenciosos que as pessoas não sabem. Eu fiz o que eu achava que era coerente. Sempre que alguém tentar me subornar ou extorquir, eu vou fazer isso. O caso está na Polícia Federal, vai ter audiência e julgamento. Quem tratava comigo não era ela, era o marido”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here