O desafio da Pernambucana

Neste e nos “próximos episódios” dessa coluna, pretendo abordar temas relacionados à questão urbanística da cidade de Osasco, porém de forma pontual. A proposta é identificar problemas em algumas regiões e avaliar os desafios a serem enfrentados. Espero, dessa forma e, despretensiosamente, contribuir para um debate que, na maioria da vezes, ocorre apenas em gabinetes governamentais e ambientes técnicos. Quero começar por uma transformação urbanística que já está em curso há mais de dez anos e alterou de forma significativa a rotina de uma região. Trata-se da valorizada e disputada Rua Pernambucana, no Jd. Conceição, zona sul de Osasco. É uma via com pouco mais de 700 metros de extensão e liga o Jd. Paulista aos bairros Novo Osasco e Olaria do Nino.

Em uma extremidade concentra-se o comércio, também em transformação, na outra, uma área residencial que chama a atenção pelos números. Em um trecho com pouco mais de 500 metros instalaram-se oito condomínios residenciais e o nono está na fase final de obras. São mais de 2.500 apartamentos, além de um conjunto de sobrados. Uma conta rápida com cerca de 3 pessoas/unidade e chegamos a uma população em torno de 8 mil habitantes – maior que muitos municípios brasileiros. Com as novas edificações a paisagem urbana modificou-se completamente. A área comercial e de serviços também recebe novas estruturas. Dentre outros, uma loja de uma grande rede de supermercados se instalou no local e a prefeitura inaugurou uma Unidade de Pronto Atendimento – UPA 24 horas em 2016. A rua ainda tem espaço para abrigar uma garagem de uma empresa de ônibus. Com tanta gente morando no mesmo lugar e outras tantas a caminho, a região ganhou importância e também alguns problemas.

O principal deles? – O trânsito! A mobilidade certamente é o maior desafio para quem vive na área. Ao final do dia, na hora do “rush”, é preciso uma boa dose de paciência para se chegar ao bairro pela estreita Rua Washington Pedro Lancelotti, uma das principais ligações viárias. Há quem afirme com segurança que, em algum momento, a “coisa vai parar!” E não precisa ser especialista nem profeta para esse tipo de previsão. Mas, calma, há uma luz no fim do túnel. Brilhando pouco, é verdade, mas existe! Prevista há décadas nos planos diretores de desenvolvimento urbano, está a avenida Transversal Sul. Ela passará exatamente atrás da maioria dos condomínios construídos nos últimos anos. Seu curso acompanhará o córrego existente e ligará o bairro do Conjunto dos Metalúrgicos ao Jd. Belmonte, junto à Rua Kenkito Shimomoto.

Dois trechos dessa avenida foram inaugurados em 2015, mas a obra completa ainda parece ser apenas um sonho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here