Osasco é a nona cidade do Estado em número de Ford Escort registrados

Não dá para falar dos anos 1980 no Brasil sem lembrar do Ford Escort, que neste mês completa 35 anos. Lançado em julho de 1983, o modelo virou um ícone da década. No sistema do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), constam 393.487 registros do Escort no Estado; destes, 90 têm a placa preta, destinada a colecionadores.

AS  CIDADES COM MAIS REGISTROS
1 São Paulo          122.862 31  Itaquaquecetuba       1.799
2 Campinas            11.938 32  São Carlos       1.772
3 Santo André            10.671 33  Hortolândia       1.720
  4 São Bernardo do Campo            10.162    Araraquara       1.720
5 Guarulhos              9.778 35  Presidente Prudente       1.703
6 Ribeirão Preto              8.087 36  Rio Claro       1.702
7 São José dos Campos              7.551 37  Catanduva       1.622
8 Sorocaba              6.768 38  Salto       1.582
9 Osasco              5.408 39  Barueri       1.526
10 Bauru              5.219 40  Itu       1.510
11 Franca              5.091 41  Bragança Paulista       1.480
12 Taubaté              4.771 42  Araçatuba       1.474
13 Jundiaí              4.159 43  Jaú       1.391
14 Mauá              3.940 44  Cotia       1.388
15 Limeira              3.662 45  Taboão da Serra       1.361
16 Mogi das Cruzes              3.634 46  Praia Grande       1.344
17 Piracicaba              3.521 47  Atibaia       1.324
18 Diadema              3.098 48  Botucatu       1.262
19 Jacareí              2.847 49  Itapevi       1.250
20 São José do Rio Preto              2.732 50  Mogi-Guaçu       1.223
21 Carapicuíba              2.496 51  Ribeirão Pires       1.198
22 Santos              2.230 52  Sertãozinho       1.181
23 Suzano              2.115 53  Araras       1.167
24 Sumaré              2.062 54  Votorantim       1.154
25 São Caetano do Sul              2.034 55  Itapetininga       1.144
26 Indaiatuba              2.019 56  Tatuí       1.127
27 Americana              1.931 57  Embu das Artes       1.095
28 Pindamonhangaba              1.895 58  Valinhos       1.076
29 Marília              1.842 59  Várzea Paulista       1.054
30 Santa Bárbara do Oeste              1.831 60  Pirassununga       1.039

O Escort chegou ao mercado brasileiro após fazer sucesso na Europa. A versão nacional mais em conta era a CHT E-Max 1.3, que custava Cr$ 4.019.324,00 (Isso mesmo! Mais de 4 milhões; em valores atualizados pelo IPC-Fipe, isso dá hoje mais ou menos R$ 40 mil). A GL 1.6 era a mais sofisticada: Cr$ 5.122.052,00 (cerca de R$ 51 mil, pelo IPC-Fipe).

Pouco depois, em outubro de 1983, foi lançado o modelo XR3. Segundo anunciava a Ford na época, era o mais sofisticado esportivo fabricado até então no Brasil. Tinha relógio digital de múltiplas funções, bloqueio elétrico das portas, vidros acionados por comando elétrico, retrovisores elétricos e teto solar, além de um motor com modificações para realçar a esportividade. Custava Cr$ 7.075.000,00 (aproximadamente R$ 58 mil).

Mas foi apenas em abril de 1985 que o XR3, já um grande sucesso, trouxe um detalhe que o tornou inesquecível para muitos: ganhou uma versão conversível. Na época, era o único veículo nacional a sair sem capota de fábrica. Custava bem mais que o XR3 normal: cerca de Cr$ 72.000.000,00 (R$ 114 mil, em valores corrigidos pelo IPC-Fipe).

Depois de promover reestilizações do Escort na década de 1990, a Ford descontinuou o modelo em 2003.

O número restrito de exemplares com placa preta se explica por uma das exigências: além de manter boa parte das características originais de fabricação, é preciso que o carro tenha ao menos 30 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here