Osasco prorroga vacinação contra a gripe

A Prefeitura de Osasco ampliará o período de vacinação contra a gripe. A vacinação terá continuidade até que haja estoque disponível nas unidades de saúde. Além disso, também poderão ser vacinadas crianças entre 5 e 9 anos de idade, e adultos entre 50 e 59 anos.

A estratégia de vacinação é definida pelo Ministério da Saúde a fim de reduzir os impactos do vírus influenza em todo o país. A gripe é uma doença séria, que mata mais de 650 mil pessoas todos os anos, de acordo com levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além de causar aqueles sintomas clássicos — febre alta, nariz entupido, cansaço e dor no corpo –, ela está por trás de complicações como pneumonia e infarto.

Para a campanha desse ano, o Ministério definiu os grupos prioritários: crianças de 6 meses a 5 anos; pessoas com mais de 60 anos; gestantes; mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias; profissionais da saúde; professores da rede pública e particular; população indígena; portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide; indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia; portadores de trissomais, como as síndromes de Down e de Klinefelter; pessoas privadas de liberdade, e adolescentes internados em instituições socioeducativas, como a Fundação Casa.

A escolha desses grupos se deve ao fato de eles serem mais vulneráveis aos efeitos da gripe e sofrerem mais com seus sintomas e desdobramentos. Em Osasco, a campanha atingiu 90% dos idosos. Os demais grupos prioritários devem procurar as Unidades Básicas de Saúde para a imunização.

SERVIÇO

Campanha de Vacinação contra a Gripe

Término: Até que haja estoque da vacina

Local: Unidades Básicas de Saúde

 

Público alvo:

. Crianças de 6 meses a 5 anos;

. Crianças de 5 a 9 anos; (novo)

. Pessoas entre 50 e 59 anos; (novo)

. Pessoas com mais de 60 anos;

. Gestantes;

. Mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias;

. Profissionais da saúde;

. Professores da rede pública e particular;

. População indígena;

. Portadores de doenças crônicas, como diabetes, asma e artrite reumatoide;

. Indivíduos imunossuprimidos, como pacientes com câncer que fazem quimioterapia e radioterapia;

. Portadores de trissomais, como as síndromes de Down e de Klinefelter;

. Pessoas privadas de liberdade, e

. Adolescentes internados em instituições socioeducativas, como a Fundação Casa.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here