Pedestre iluminado

Quem já não se viu em situação de risco ao atravessar uma faixa de pedestres a noite? Mesmo você, motorista, quantas vezes já se deparou com um ou mais pedestres atravessando uma faixa de segurança em local pouco ou nada iluminado? Situação corriqueira nas cidades brasileiras, a segurança no sistema de trânsito é um enorme desafio para as autoridades, órgãos responsáveis pelo setor e toda a sociedade. A maioria das mortes decorrentes de acidentes de trânsito ocorre a noite. É o que revela o Infosiga – Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Em 2017, foram registrados 5645 óbitos no estado de São Paulo, sendo que 34% (1920) ocorreram a noite (18h a 0h) e 20,3% (1144) na madrugada (0h às 6h). Juntos, representam 54,3% (3064) do total. Domingo (1176), sábado (1105) e sexta-feira (790) são os dias da semana que concentram o maior número de mortes. Para aumentar a segurança na área, tramita no Congresso Nacional o projeto de lei – PL 8729/17 para alterar o artigo 85 do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) e tornar obrigatória a iluminação de faixas de pedestres. De acordo com o texto da proposta aprovada pela Comissão de Viação e Transportes no dia 25 de abril, “os locais destinados à travessia de pedestres deverão ser sinalizados com faixas pintadas ao longo da via e também iluminadas de acordo com critérios definidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran)”. A ideia foi inspirada no projeto “Travessia de Pedestres Iluminada”, desenvolvido pela Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET) e implantado em julho 1996. Segundo a justificativa do projeto que agora segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, após a implantação da iniciativa na capital paulista, o número de atropelamentos diminuiu, bem como houve melhora significativa nos níveis de atenção tanto de motoristas como de pedestres. A iluminação da travessia de pedestres já não é uma novidade país afora, entretanto, o projeto inova ao torná-la obrigatória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here