Santana de Parnaíba recebe projeto de empoderamento das mulheres por meio do samba de bumbo

Após circulação pelos Centros de Cidadania da Mulher de São Paulo, o projeto Faz a Roda Grande Mulher, contemplado no edital Proac de promoção e proteção das culturas negras, chega à Santana de Parnaíba no próximo dia 11 (sábado) das 13h às 17h, no Ceu das Artes, localizado no Parque Santana.

O projeto cultural propõe a reflexão sobre o papel da mulher, por meio do samba de bumbo e a história das mulheres negras, que são fundamentais para a sobrevivência da manifestação cultural.

A atividade no Ceu das Artes será gratuita e aberta ao público de todas as idades. Haverá exibição do curta-documentário “Esse Bumbo é Meu”, bate-papo sobre a mulher na manifestação cultural, na sociedade e a apropriação dos instrumentos, tradicionalmente de posse masculina. Na sequência, o grupo Samba de Bumbo de Dandara conduzirá uma oficina para aprofundar o diálogo sobre mulher e empoderamento, estimulando a produção de quadrinhas inspiradas nas experiências  dos participantes. Para encerrar, as Dandaras farão uma apresentação cantando versos tradicionais do samba e as novas quadrinhas.

O Faz a Roda Grande Mulher foi realizado nos Centros de Cidadania da Mulher de Itaquera, Parelheiros, Perus, Capela do Socorro e Santo Amaro. Nas atividades, surgiram debates sobre a desigualdade de gênero no ambiente doméstico, assédio, racismo, ocupação dos espaços, entre outros temas recorrentes no cotidiano das mulheres na sociedade patriarcal.

Para Jana da Silva, que participou da oficina no CCM Parelheiros, foi uma experiência muito importante para as mulheres. “Aqui em Parelheiros, a função da mulher é cuidar da casa e dos filhos, elas não têm o direito de sair, mas agora elas estão começando a se empoderar e essa atividade é uma oportunidade para conscientizar as mulheres como protagonistas de suas vidas”, relatou. Nessa unidade foi produzida a quadrinha: “Mulheres de Parelheiros / Vem mostrar o seu alguém / Vem pra roda cê também / Vem pra roda cê também”.

Já no CCM Capela do Socorro, onde a discussão girou em torno dos privilégios entre homens e mulheres, as participantes criaram: “Tando lua, tando sol / Não importa o que vier / Os direitos são os mesmos / Sendo homem ou mulher”.

Grupo Samba de Bumbo de Dandara

O grupo Samba de Bumbo de Dandara surgiu no Carnaval de 2016, com o objetivo de empoderar as mulheres a partir dos instrumentos musicais do samba de bumbo. Tradicionalmente, na manifestação popular, os homens tocam e as mulheres dançam, mas nas apresentações do grupo Dandara, os papeis são invertidos e as mulheres tocam, questionando assim a divisão de gênero no samba rural paulista. São integrantes do grupo: a atriz, bailarina e arquiteta Irla Costa, a atriz e estudante Lucia Steves e a técnica em enfermagem Luciana Fernandes, também integrante e descendente direta do grupo “Treze de Maio”, fundado por negros recém libertos em 13 de maio de 1888.

Documentário “Esse Bumbo é meu” (2016)

O filme registra o samba de bumbo, expressão musical tradicional da região metropolitana, interior paulista e herança do tempo da escravidão. O documentário apresenta a luta das mulheres do samba para manterem viva a cultura de seus ancestrais, enfrentando preconceitos e conflitos com a política local. Soluções se apresentam, mas afinal, de quem é esse bumbo? Direção: Ruy Reis, Paula Simões, Dagmar Serpa, Marina Chekmysheva e Daniel Mirolli Elenco: Carmelino Euzebio de Jesus, Eni Soares de Sousa, Irla Costa, Lucia Steves, Luciana Oliveira de Jesus Fernandes, Luisa Camargo de Jesus.

Serviço

Ceu das Artes – Parque Santana

Data: 11 de agosto (sábado)

Horário: 13h às 17h

Local: Rua Soldado Paulo Romão, 14, Parque Santana – Santana de Parnaíba

Contato: 4154- 4193

Gratuito

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here