Vai afastar

Quem já viu uma pessoa ser prejudicada por alguém e que sem perceber a “derrubada” é pra cima. É isso que pode acontecer com o vereador Ralfi Silva. O Podemos, não gostou nada em saber que seu candidato a deputado estadual está em aliança com outros nomes a federais fora do partido. A veemente ameaça partiu, ao que parece do ex-secretário da Comunicação de Osasco Franz Felipe. Aquele que foi embora e não deixou saudades e ainda provocou uma enorme comemoração com fogos de artifício. Pensa o Franz, que expulsar Ralfi Silva do partido vai deixá-lo muito abalado, triste, chorando pelos cantos. Só que não. Vai ficar livre para escolher qualquer sigla (aposto que é o DEM). Quando o filiado é expulso e se tiver cargo eleito acaba a fidelidade partidária, denominado como: desfiliação imposta pelo próprio partido político. Acho que por ser o secretário estadual da sigla, Franz deveria entender melhor sobre o que pode e o que não “podemos”. Mas há pessoas que tentam, tentam e nunca aprendem.

 

Recuou

Mas, por precaução, o vereador Ralfi Silva foi obrigado a retroceder suas alegações passadas aos jornalistas na terça, dia 11. “Venho despertando convites e apoio de diversas agremiações políticas. Todavia, quero esclarecer que não tenho intenção de mudar de partido e este não é o melhor momento para falarmos sobre isso. Mario Covas Neto, candidato ao senado e Renata Abreu, deputada federal e candidata à reeleição, ambos do Podemos, têm o meu apoio total e restrito nas eleições de 2018. Inclusive, os dois participaram do lançamento da minha Candidatura a deputado estadual no último 23 de agosto.” Agora eu: Se não sai agora. Sai depois.

 

Pra todos os gostos 

A curiosidade sobre a quem os vereadores de Osasco deverão declinar o voto no dia sete de outubro, para presidente, deu o seguinte resultado entre aqueles que se propuseram a participar: De Paula – Geraldo Alckmin; Tinha Di Ferreira – indefinido; Mario Guide – Geraldo Alckmin; Altair da Padaria – Geraldo Alckmin; Batista Comunidade – Haddad; Alex da Academia – Ciro Gomes; Pelé da Cândida – Bolsonaro – Jair Assaf – o que o PROS definir; Ni da Pizzaria – Álvaro Dias; Sebastião Bognar – Geraldo Alckmin; Toniolo – Fernando Haddad.

 

Reconhecimento

De volta à política, Francisco Rossi está muito satisfeito com a recepção que vem tendo com os osasquenses. Candidato a deputado estadual, algo inédito em sua carreira política, o ex-prefeito tem caminhado muito pela cidade; por feiras livres, ruas da periferia e sempre é reconhecido por onde passa. “À noite em seus comícios o público presente vem satisfazendo”, diz um assessor. E isso em momentos de profundo descontentamento da população a classe política. “É normal eu andar pelas ruas de Osasco e receber abraços e isso me deixa muito feliz”, afirma Francisco Rossi.

 

Idosos e o respeito

Novamente os vereadores discutiram sobre as duas empresas de ônibus que servem o transporte municipal na cidade. O assunto voltou a ser sobre a gratuidade aos idosos acima de 60 anos. Até então as empresas continuam não aceitando o novo serviço. Só que desta vez a novidade é que os maiores de 65 anos que por Lei Federal têm a gratuidade garantida, estão passando por certas humilhações quando é obrigado a passar o documento da prova da idade e esperar as anotações do cobrador para liberar a descida pela porta da frente. Antes simplesmente mostrava e saía.

 

CPI não avança e vereadores emudecem 

E a discussão tomou boa parte dos senhores edis, que parece estarem acordando para uma realidade que antes parecia distante entre eles. A CPI sobre transportes que tem apenas seis assinaturas, faltando apenas uma para ter sequencia continua parada. A quem interessa isso? A prefeitura não tem nada a ver com a empresa que é particular. Quando os idosos vão ser tratados com respeito e dignidade? Os que ainda não completaram 65 anos e estão acima de 60 só podem utilizar os transportes gratuitos pelas mesmas empresas; Osasco e Urubupungá se a linha for intermunicipal. E a indagação que fica é quem deve pagar por isso. É a prefeitura?

 

Nova caminhada  

Passados quatro dias, Osasco vai acompanhar nova manifestação em favor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). A primeira, liderada pelo candidato a deputado estadual Alexandre Bussab, ocorrida na terça-feira, reuniu centenas de pessoas que passaram pelo calçadão da Rua Antônio Agú; gritando pelo ferido Bolsonaro que se recupera no Hospital Albert Einstein em São Paulo.  Uma verdadeira convulsão que acontece na maioria das cidades brasileiras, por incrível que pareça. E na manhã de sábado, manifestantes se encontram no estacionamento da prefeitura de Osasco para dar início a uma nova caminhada. Esta, diferente da outra, com apenas simpatizantes ou algum líder maior da campanha. Pesquisas mostram que Bolsonaro, mesmo se recuperando de um ataque de arma branca em Minas Gerais, avança pelas medições de institutos de pesquisa que já o garante o mínimo em ir para o segundo turno, onde terá igualdade de condições como o tempo na TV, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here