Site icon Correio Paulista

Osasco cria grupo de combate ao racismo

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria Executiva da Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), em parceria com o 14º Batalhão da Polícia Militar, realizou na quinta-feira, 29/7, evento para a criação do Grupo de Trabalho de Combate ao Racismo. A atividade ocorreu na Sala Luiz Roberto Claudino da Silva (antiga Sala Osasco), com palestra do professor Natanael dos Santos.

Alexandra Pontieri, gerente do Centro de Referência de Direitos Humanos e Combate ao Racismo da SEPPIR, representando a secretária Amanda França, falou sobre a importância da criação do grupo. “A criação desse grupo visa o estudo e a capacitação para a realização de ações efetivas para a população negra, com o objetivo de desconstruir o preconceito e para a construção de políticas públicas voltadas a esse movimento. Também tem por objetivo dar voz, oportunidade e identidade a população negra”, disse.

A tenente-coronel Eunice Rosa Godinho, comandante do 14º BPM, disse que a atuação da corporação é de proteção. “Devemos ter respeito e igualdade sobre os humanos e não diferenciar pela raça, porque somos todos iguais”, ressaltou, agradecendo a parceria com a secretaria e o trabalho do professor Natanael dos Santos, na futura parceria para a capacitação dos GCMs e dos PMs.

Palestra

O professor Natanael dos Santos em sua palestra, sob o título “A trajetória do Africano no território brasileiro”, abordou a contribuição da população negra na cultura, ciência, linguística e na construção da identidade do Brasil. Ele também abordou o período da escravidão, pós-abolição e como ela aconteceu, ressaltando tudo o que foi proporcionado ao negro nesse percurso. “Não é uma palestra ofensiva, na verdade é agregadora e informativa, porque preconceito é falta de informação”, ressaltou.

Para finalizar sua participação, o professor fez uma interação com o público, pedindo que alguns tocassem instrumentos africanos. Para a interação, ele deu uma breve explicação e “ensinou” os participantes que eles tocariam no ritmo do coração. “Um som que ouvimos quando estamos no ventre, não o esquecemos, ele só estava adormecido”.

Natanael é professor, historiador, pesquisador, autor, escritor e palestrante. Desenvolve trabalhos de pesquisa no campo da historiografia africana em teses de mestrado e doutorado desde 1987. Também é membro fundador e coordenador de pesquisas do núcleo de Estudo Afro brasileiro da Universidade de Campinas (Unicamp), além de ser pesquisador, autor e organizador da coleção Africanidade e acessibilidade para todos e produtor da plataforma EAD para formação online em Africanidade.

Sair da versão mobile