Ícone do site Correio Paulista

Presidente do Sincovero questiona retirada dos cobradores de ônibus

O sindicalista Luiz Cândido Valentim defende que as empresas de ônibus não demitam os cobradores. De acordo com o Sindicato dos Motoristas de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários de Osasco e Região (Sincovero) presidido por ele, nos últimos dois anos, cerca de 2 mil cobradores perderam seus empregos nas 11 empresas das 11 cidades da região oeste. “Nós lutamos por melhores salários e também pela manutenção dos empregos, principalmente dos cobradores. As empresas estão se aproveitando do momento para tirar os cobradores, os donos de empresas de ônibus dizem que estão passando por uma situação difícil.” O integrante do sindicato disse que a dupla função Motorista/Cobrador poderá trazer problemas. “O motorista dirige um carro com 70, 80 passageiros, tem que dirigir, cobrar, o número de acidentes vai aumentar. Já tivemos vários acidentes entre ônibus, batidas em poste por causa dessa dupla função.” Cotia, Vargem Grande Paulista, Taboão da Serra, Embu das Artes estão tirando o cobradores nas empresas de ônibus municipais. Outras cidades da região estão começando a tirar essa função.
Valentim chegou em Osasco em 1975, trabalhou como motorista durante muitos anos, foi funcionário da Urubupungá, Gato Preto, Gattusa, Himalaia. Em 1986, entrou no Sincovero. “Na época as pessoas só discutiam o salário por causa da CMTC, o carro chefe era a Capital, os salários eram bem diferenciados, os motoristas e cobradores da nossa região eram esquecidos”, comenta Valentim. Ele sempre fez parte da diretoria do Sindicato, já foi presidente.
Atualmente o sindicato tem 5 mil associados, antes, esse número passava de 9 mil integrantes.
A tendência é que a situação de desemprego dos cobradores piore nos próximos meses. “Nós sabemos que essa função de cobrador está com os dias contados, mas você pode mantê-lo como agente de bordo, ele ajuda um cadeirante a entrar no ônibus, ajuda a manobrar, já temos esse exemplo em Sorocaba.”

Apoio da CUT
O Sindicato dos Motoristas de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários de Osasco e Região (Sincovero) se uniu à CUT e à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL). O sindicato estava até pouco tempo com a Nova Central. “A Central que está mais próxima do trabalhador é a CUT, ela tem mais força para brigar, conseguir aumento, ela é mais atuante.”
Presidente do Sincovero, Luiz Cândido Valentim destacou que a filiação às duas entidades neste momento político do país ocorre pela demonstração de força e de enfrentamento que elas têm realizado. “O país vem passando por uma situação esmagadora no movimento sindical e nos direitos da classe trabalhadora. Por isso, escolhemos a Central mais ideal neste momento de luta e estamos aqui para somar e para ter um bom apoio no enfrentamento aos ataques”
Vice-presidente da CUT Brasil, Vagner Freitas celebrou a chegada da entidade. “A CUT sente muita emoção e orgulho de receber este sindicato nas nossas fileiras. Uma entidade se mostra viva, forte e grande quando ela representa cada vez mais trabalhadores, e quando ela tem um momento como esse que estamos vivendo aqui, de uma entidade deste tamanho se filiando à CUT.”
O sindicato já está em Campanha Salarial, eles pedem o reajuste através da inflação e o fim do banco de horas. “Nós brigamos para voltar as horas extras e não o banco de horas, se não chegar em um acordo, nós vamos parar as cidades. Faremos uma paralisação dos motoristas de ônibus”.

Sair da versão mobile