Ciro Gomes critica Temer e prega reforma trabalhista

Eleições 2018

O candidato do PDT a presidência da república Ciro Gomes esteve na cidade de Osasco na última quarta ele fez uma caminhada pelo calçadão da rua Antônio Agú junto com ex-prefeito Lapas


 

Na manhã desta quarta-feira, 22, o candidato do PDT fez uma caminhada pelas ruas do centro de Osasco, para conversar com eleitores. Em meio ao corpo a corpo, ele comentou com jornalistas o conteúdo da carta enviada pela assessoria do presidente Michel Temer ao cantor e compositor Caetano Velloso. Na mensagem, Temer chamou Ciro de “pigmeu político”. “Eu sou o cara que tenho confrontado o Michel Temer e o que ele representa. Você ser agredido e insultado pelo presidente da República mais odiado do Brasil, me parece uma medalha que quero que o povo preste atenção”, declarou Ciro durante a atividade de campanha no centro de Osasco. “Ele [Temer] elogia o [Geraldo] Alckmin, elogia o Henrique Meirelles e me critica azedamente. Sai até da postura de ‘falo-ia, falo-ei’, mesóclise e pilantragem. O Michel Temer é chefe de quadrilha, vamos convir, todo mundo está cansado de saber disso. Vou denunciá-lo de hoje até a última hora”, declarou o pedetista.
Ciro chegou a ser criticado por alguns eleitores em meio à caminhada com apoiadores. Um estudante de Ciências Sociais da USP questionou o fato de ele ter escolhido a senadora Kátia Abreu (PDT-TO), ligada ao agronegócio, como sua candidata a vice. Ao responder ao estudante, o pedetista disse que, se eleito, fará uma reforma agrária.
Ciro também parou para conversar com moradores de rua que estavam deitados no calçadão e chegou a abraçar um deles.
O candidato do PDT ao Palácio do Planalto, Ciro Gomes, afirmou que a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) está “defasada”. O presidenciável disse que, se eleito, não terá “medo” de propor uma modernização da legislação trabalhista. Para ele, a reforma em vigor desde novembro de 2017 foi responsável por levar quase um milhão de trabalhadores para a informalidade. Na ocasião, ele disse que, se vencer a eleição presidencial, pretende revogar a reforma trabalhista.(G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *