Responsabilidade Afetiva: O antídoto da ilusão

Colunistas Talita Andrade

Se ilusões amorosas fossem blocos, quantas paredes você conseguiria subir?
Quem nunca foi iludido na vida, que atire a primeira pedra!
Relacionamento amoroso é o assunto mais complexo que existe, pois trata-se da junção de duas pessoas com personalidades diferentes. Cada um pensa e age de um jeito, e se a relação não for composta de diálogo, acontece o que chamamos de “Ilusão” (o popular “papel de trouxa”).
Acontece que hoje em dia, com a dimensão e o poder da rede social, a velocidade com que as pessoas interagem e se envolvem é muito rápida. Além disso, estamos mais intensos (vulgo desesperados) na nossa busca pela química perfeita. Experiência nunca é demais, não é? Entretanto, nessa caça, cruzamos com pessoas que nos deixam com o coração enfraquecido.
O moço manda flores, escreve mensagens bonitas, diz que você é incrível, age como um belo bobo apaixonado, e, quando você menciona um próximo passo, ele se afasta e diz que não quer um compromisso. A frustração poderia ser evitada, se as intenções/expectativas de ambos fossem compartilhadas desde o início.
O problema é que estamos cada vez menos preocupados com o que vamos causar no outro. Por um lado, ser egoísta é justificável: ninguém é obrigado a atender as expectativas alheias. Todavia, nossas intenções precisam estar as claras, assim a outra parte, avaliando a “temperatura da água”, decide com dados se mergulha nesta piscina gelada ou não.
Responsabilidade afetiva é estar consciente e se responsabilizar pelo sentimento e expectativa que você cria em outro coração. Entender o que ele espera de você, e retribuir porque é também o seu desejo. Ser cuidadoso com o coração alheio é um gesto nobre e só engrandece o nosso caráter.
Fique atento aos sinais passados para a pessoa que está contigo, e exponha suas limitações nessa relação, para que o outro tenha opção de escolher ficar com o pouco oferecido ou ir atrás do melhor. O que não é legal é usar as pessoas com jogos de conquistas para conseguir sexo casual, sendo que você não está a fim de permanecer na vida dela. Se não quer entrar, não bloqueie a passagem, combinado?
Pode ser que você não esteja no momento de querer se envolver emocionalmente com alguém e ok. Mas, seja transparente para evitar o sofrimento do outro, para que quando você estiver disposto a realmente se envolver e preencher o coração, a pessoa que você escolher não te frustre com ilusão e decepção.

Eu acredito na lei do retorno, você não?

1 thought on “Responsabilidade Afetiva: O antídoto da ilusão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *