5° Baep recebe Drone comprado por réu 

Cidades

Além do 5° Baep, outros dois batalhões da PM serão beneficiados com drones. A GCM de Osasco, caso treine e habilite um agente para usar o equipamento também receberá uma unidade; O equipamento será utilizado para ações de alta periculosidade da polícia militar na região oeste


 

O promotor de Justiça do Patrimônio Público de Osasco do Ministério Público de São Paulo (MPSP), Gustavo Albano, entregou, nesta quarta-feira, 16, um moderno drone ao 5° Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep). O equipamento foi adquirido por um réu após aplicação de uma multa após acordo para resolução de um processo por corrupção. Até o final deste ano, aproximadamente R$ 100 mil deverão voltar aos cofres públicos recuperados pela promotoria.   “Essa ação faz parte do MP – Parceiro da Sociedade que destina primeiro, obviamente, sem prejuízos primeiramente a recuperação do dinheiro público que os cofres públicos sofreram que é devolvido imediatamente. Esse é a primeira doação, um quadricóptero da mesma marca e modelo utilizado pelo Departamento de Polícia de Nova Iorque, nos Estados Unidos”, explica Albano.
“É uma ferramenta para diversas operações, um levantamento de uma reintegração de posse, inteligência, vigilância, antecipação até em conjunto com ações de operações especiais. São várias operações que nós podemos utilizar. Isso vai incrementar muito nossa operação no Batalhão”, comenta o comandante do 5° Baep, tenente-coronel, José Alexander Albuquerque Freixo. O comandante também agradeceu a inciativa e parceria do promotor.
Além do 5° Baep, outros dois batalhões da PM serão beneficiados com drones. A GCM de Osasco, caso treine e habilite um agente para usar o equipamento também receberá uma unidade. Outras ações, na próxima etapa, também garantem investimentos em educação pública de qualidade com a transformação de uma unidade escolar em um colégio privado focado na disciplina, comprometimento e respeito, melhorias no esporte e lazer na periferia.
A ação do promotor de Osasco faz parte do “MP – Parceiro da Sociedade” que transforma multas de processos de corrupção em benefícios para o cidadão. O ato está embasado na Resolução 179/2017, do Conselho Nacional do Ministério Público que regulamenta a ação permitindo a destinação dos recursos a projetos de prevenção ou reparação de danos em proveito de uma região ou pessoas impactadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *