A descoberta mais trabalhosa da vida

A vida é composta de oportunidades, mas para viver de forma proveitosa, precisamos criar um plano.

Somos instruídos a estudar, trabalhar, formar uma família e nesse conjunto ser feliz. Muitas pessoas conseguem realizar esses ideais. Porém, há uma grande chance de percebermos que estas conquistas não nos completam. Sentir um vazio após conquistar um bom emprego, ter uma família, e então se dar conta de que só o amor não te basta.

Amar outra pessoa é a coisa mais fácil do mundo. É estranho quem encontra dificuldade nesse ato. O outro nos mostra aquilo que ele quer… não sabemos a verdade interna – obscuras e feias – de ninguém.

Já em cada um de nós, tudo aquilo que somos, pensamos e desejamos, designa a nossa verdade.

Tenho 3 perguntas para te fazer refletir:

Quem você é por dentro, te orgulha ou envergonha?

Aquilo que você faz ou pensa quando está sozinha, te tranquiliza?

O que você deseja ao próximo, voltasse, você ficaria bem e feliz?

Não tenha medo de ser quem é, mas se esforce a decifrar aquilo que não te traz orgulho e tente mudar. Somos seres em evolução e nossa jornada é buscar nossa melhor versão. Para vivermos bem e para morrermos melhor ainda.

Não precisamos deixar um legado, mas podemos fazer de nossa passagem na vida das pessoas que conhecemos, uma lembrança boa e feliz ou uma inspiração bonita. Para isso, precisamos entender como funciona o nosso sistema e identificar os erros para reparos. Eu sigo nessa busca, diariamente, errando e acertando. Vou experimentando diversas formas de pensar, e entendendo que o que funciona para mim, pode não funcionar para o outro.

E o que nos aproxima nessa diferença, é a forma que nos respeitamos, sem julgar a forma do outro, de ser feliz.

Para finalizar, vou citar um trecho do filme que eu já assisti dezenas de vezes, e a cada uma delas, aprendi algo e tirei como lição.

“Se você for corajoso o bastante pra deixar tudo que é familiar e cômodo, para trás (desde a sua casa, até a amargura de antigos ressentimentos) e planejar uma busca verdadeira, tanto externa quanto interna, estando disposto a considerar tudo que acontecer com você como uma pista. Aceitando que todos que encontrar ao longo desse caminho poderão lhe deixar uma lição, que irão colaborar nessa construção de aprendizagem. E se estiver preparado acima de tudo a enfrentar e perdoar algumas realidades bem difíceis sobre si mesmo, a verdade não será negada a você.”

(Filme: Comer, Rezar e Amar).

PS: Não se canse de buscar respostas para aquilo que te afasta de você mesmo.

Um beijo e boas vibrações para todos!

Talita Andrade – escritora e fotógrafa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here