Assassino da Catedral de Campinas trabalhou em Carapicuíba em 2012

Capa Cidades

O homem que matou quatro pessoas na Catedral Metropolitana de Campinas nesta terça-feira. Trabalhou em Carapicuíba. Euler Fernando Grandolpho exonerou-se de sua função no dia 3 de julho de 2014, ele era auxiliar de promotoria no Ministério Público nomeado em 08 de dezembro de 2012.

APolícia Civil confirmou na tarde desta terça-feira (11) que o atirador que matou quatro pessoas é Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, que tem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) registrada em Valinhos (SP). Ele cometeu suicídio após o crime e outras quatro pessoas ficaram feridas após serem atingidas por disparos.

O delegado José Henrique Ventura afirmou que a profissão do atirador era analista de sistemas, mas na ficha de identificação civil dele consta que ele era publicitário.

Segundo a Polícia Civil, o atirador não tinha antecedentes criminais e um delegado já foi até a casa onde ele morava para ver com quem morava e se no local são encontradas informações relevantes.

O que já se sabe sobre o ocorrido:

  • Uma missa havia começado às 12h15;
  • Um homem entrou armado na Catedral, por volta das 13h;
  • Ele sentou em um dos bancos da igreja e, ao final da celebração, disparou cerca de 20 tiros;
  • Ele matou quatro homens, deixou quatro pessoas feridas e cometeu suicídio na sequência;
  • Os mortos não foram identificados;
  • A motivação do crime é investigada pela polícia;
  • Os feridos foram levados ao Mário Gatti, Beneficência Portuguesa e Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp – veja, abaixo, o estado de saúde de cada um deles;
  • Para a polícia, o atirador “executou um plano que tinha na cabeça”;
  • O atirador foi identificado como Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos – ele chegou a trabalhar no Ministério Público como auxiliar de promotoria, mas saiu do órgão em 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *