Minhas Ideias Televisivas 

Minha mãe continua reclamando. Ela adorava assistir o programa de culinária da Gazeta, “Cozinha Amiga”, no período da tarde. Colocaram esta atração no horário da noite. Outro que está neste horário é o “Você Bonita”. Tudo errado. Programas que são feitos para manhã ou tarde, não para noite. Sem falar que tem muita luz. É iluminado demais para passar tão tarde.
Tinha até elogiado, mas…
O “Cidade Alerta”, Record TV, está cada dia mais exagerado e até certo ponto bobo mostrando casos policiais.
Adoro programa policial. Mas sempre lembrando que atração policial não é polícia.
Mudando de assunto…
Nenhum jornalista é imparcial. Isso não existe. Mas mostrar os dois lados e não tentar impor sua opinião é importante. Pena que isso acontece pouco.
E sobre os artistas…
Pouco me interessa a opinião política de qualquer famoso.
E não custa lembrar, situação fica realmente tensa apenas quando a dona Florinda chama o Kiko de Frederico. Aí sim tudo está perdido.
E continuam morrendo famosos. São tantos… Já nem lembro se falei e lamentei todos. Mas fica aqui minha homenagem. E pelo jeito, a retrospectiva este ano vai durar umas sete horas.
Mudando de assunto…
Eu até desconfiava de algo, mas sabe que não tinha me tocado ainda? A personagem Concheta, dentro do “Todo Seu” do Ronnie Von, Gazeta, é a esposa do apresentador. É a Cristina Von. Belo casal.
E ainda gostava mais do Ronnie Von no período da noite. Apesar que ele é bom sempre. Por sinal, até o Ronnie Von foi alvo do mimimi. Piada.
Falando de novela…
As melhores tramas do momento estão na Record. Uma reprise e uma inédita. “Bela, a Feia” e “Topíssima”. Sem tanta tecnologia e com muita história boa.
Ainda sobre “Topíssima”…
Confesso que não me acostumei com a Sílvia Pfeifer fazendo papel de pessoa pobre. Ela tem muita classe e poder. Logo acostumo. Eu acho.
Mudando de assunto…
Assisti mais alguns dias o “Melhor da Tarde” da Band. O programa da Cátia Fonseca tenta ser tudo e com isso se perde. Falta definir um rumo.
Voltando ao jornalismo…
Imprensa sempre cita a palavra “suspeito” para falar de uma pessoa que cometeu um crime. E alguns reclamam. Não é errado. O sujeito nem julgado foi. Está certo, tem que falar “suspeito” mesmo. Normal. Não sou advogado, talvez algum profissional da lei explique melhor.
Algo nada a ver…
Sou do tempo que o povo odiava qualquer político. De qualquer partido. Não tinha lado.
E para fechar…
Saudade da Angélica. E até imaginei um “Globo de Ouro” (programa musical do passado). Angélica e Luciano Huck apresentando juntos. Pode ser toda sexta após o “Globo Repórter”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here