Ser mãe é decisão

Colunistas Talita Andrade

A maternidade é um momento único na vida de uma mulher. É um milagre, um coração fora do corpo. É a experiência mais fantástica da vida. Para quem quer isso!

A pergunta é: E quem não deseja ser mãe? Por que nós mulheres nascemos automaticamente com planos biológicos perante a sociedade? Por que somos julgadas quando decidimos que não seguiremos esse sonho social que esperam de nós mulheres?

Vejo muitas mulheres sendo julgadas por não desejarem a maternidade.
O fato é que ninguém é obrigado a atender expectativas alheias. É até melhor que mulheres sem instinto maternal não coloquem filhos no mundo. Evitarão adultos frustrados ferrando a si próprio ou empacando vidas alheias.

Mulher que pode ter filho, mas NÃO QUER, não é obrigada a validar sua reprodução só porque outras querem e não podem. Cada pessoa tem sua importância. A frustração de outrem não deve ser motivo para crucificar a mulher que tem o mesmo direito de escolha.

Temos o hábito (muito feio e injusto) de criticar as mulheres. É um alvo fácil, cheio de vulnerabilidades e fraquezas. Mas muito além disso, exige muita força e determinação, enfrentar uma sociedade que quer ditar o que temos de ser. Porém, o mínimo que devemos esperar de alguém que lida com os mesmos problemas, pertencendo ao gênero, é compreensão.
A palavra da moda é: S O R O R I D A D E! Quer dizer irmandade. “Empatia e união entre mulheres. Representa qualquer apoio que se possa dar a todas as mulheres que precisam, que conhecemos e que não conhecemos.”

Esse texto é para você, mulher, que NÃO DESEJA SER MÃE! Toda a minha ADMIRAÇÃO pela sua decisão. Todo o meu RESPEITO pela sua escolha. Todo o meu APOIO pela sua sabedoria de entender que você não precisa tornar real, algo que biológica e religiosamente você foi feita para ser. Toda a minha GRATIDÃO por você não ceder a pressão social, principalmente de mulheres, para ser uma mãe ruim ou infeliz.

Esse texto também é para você, mulher, que DESEJA ser mãe, mas (lamentavelmente) não pode, por questões também biológicas. Todo o meu RESPEITO, SOLIDARIEDADE e CARINHO por você. Nunca entenderemos o motivo das coisas. Que vocês tenham sabedoria e solidariedade para respeitar àquelas que tem condições, mas escolheram não ser. Isso não é uma disputa de superioridade e dever.

A vida é um templo de respeito e aceitação. Somos adaptáveis, somos flexíveis e somos amor! Antes de sermos reprodutores, somos produto do amor pleno de um criador. Corra atrás do seu sonho, mesmo que ele precise ser replanejado dentro de outras possibilidades.

Ser mãe não é TER, É SER!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *