Um papo televisivo

No Brasil tudo vira moda. Qualquer coisa. Das mais sérias até mais bobas. De live até máscara. Jesus!

E tudo começa com ninguém dando valor. Do nada, vira uma quase obrigação. Se você não gosta, é tratado como o chato.

É duro suportar certas coisas.

Ainda sobre lives… Alguns artistas até fazem sucesso transmitindo seus vídeos (muitos cansativos). E tem gente tentando pegar carona para aparecer nesse momento.
Falando das coisas malucas…

Apresentadora trocou o nome do atual pelo do ex. Outro apresentador cortou o cabelo em casa. Tudo vira notícia. Jesus!

Infelizmente continuo falando.

O “Melhor da Tarde” continua sem sentido na Band. Falta conteúdo. Precisa mais. Muito mais. E isso porque eu gosto muito da Cátia Fonseca.

Uma coisa boa?

Neste exato momento estou assistindo “A Escrava Isaura” na Record. Essa sim vale a pena. Apesar de uma história manjada. Mas muito boa.

Uma pergunta nada a ver, mas…

Uma amiga perdeu seu emprego de recepcionista e está em dificuldades. Será que ela já pode ficar preocupada com a economia ou só pode ficar pensando na saúde?

Boa saúde cria boa economia. E boa economia faz pessoas terem boa saúde.

Falando de jornalismo esportivo…

Até notícia velha está sendo ressuscitada e tratada como nova. E alguns fingem que é nova. Coisa de louco.

Só algo curioso.

Estava assistindo o ótimo “A Tarde é Sua”, Rede TV. O programa da Sônia Abrão citou uma informação. No mesmo dia, a mesma informação foi dada novamente e tratada como novidade. Faltou certo cuidado. Mas não tenho do que me queixar. O programa está leve e bom de assistir.

E os brasileiros…

Sempre criando seus heróis e vilões. O herói de hoje é o vilão de amanhã. E vice e versa. Por isso não ataco e não idolatro ninguém.

Também não ofendo autoridades. Tenho educação.

Mudando de assunto…

Você quer ficar famoso, ter muito talento e ser tratado como gênio?

Simples, basta morrer.

Minha saudade vai para…

O diretor Herval Rossano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here