CPTM vai privatizar linhas 8 e 9 que passam pela região oeste

Cidades Destaque

A CPTM publicou nesta terça-feira (1º) o edital de concessão das Linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda para a iniciativa privada. A expectativa é arrecadar mais de R$ 3 bilhões com a concessão das duas linhas, segundo o governo de São Paulo.

De acordo com o documento, estão aptas a participar da licitação empresas brasileiras, estrangeiras e consórcios. Um detalhe importante da licitação é a de que a empresa ou consórcio vencedor precisarão comprovar aptidão para o desempenho da atividade, com apresentação de um atestado com comprovação de capacidade técnica, em nome da empresa vencedora.

O vencedor precisará também comprovar experiência prévia, no último ano, como responsável pela gestão/administração de ativo de infraestrutura, de valor mínimo de investimento de R$ 650 milhões, que tenha gerado receita operacional anual de, no mínimo, R$ 300 milhões.

Domingos de Moraes; Imperatriz Leopoldina; Presidente Altino; Osasco; Comandante Sampaio; Quitaúna; General Miguel Costa; Carapicuíba; Santa Terezinha; Antônio João; Barueri; Jardim Belval; Jardim Silveira; Jandira; Sagrado Coração; Engenheiro Cardoso; Itapevi; Santa Rita e Amador Bueno, um pátio de manutenção e estacionamento de trens (Pátio Presidente Altino) e a futura estação Ambuitá a ser reconstruída pela empresa vencedora.

Já na Linha 9 – Esmeralda, são 32,5 km, e 18 estações: Osasco; Presidente Altino; Ceasa; Villa-Lobos-Jaguaré; Cidade Universitária; Pinheiros; Hebraica-Rebouças; Cidade Jardim; Vila Olímpia; Berrini; Morumbi; Granja Julieta; Santo Amaro; Socorro; Jurubatuba; Autódromo; Primavera-Interlagos; Grajaú.

Linha em expansão

A Linha 9-Esmeralda tem três estações em construção. Segundo a CPTM, serão mais 4,5 km de vias e duas novas estações: Mendes-Vila Natal, com previsão de conclusão de obras em 2021 e Varginha, que deve ser entregue em 2022.

As obras foram retomadas em janeiro de 2020. O investimento previsto é de R$ 945 milhões, sendo R$ 500 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e R$ 445 milhões de contrapartida do governo estadual.

Já a Estação João Dias, entre as estações Santo Amaro e Granja Julieta, está sendo construída pela iniciativa privada com investimento de R$ 60 milhões. A previsão de conclusão das obras é no segundo semestre de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *