Emidio diz que vai congelar o IPTU e priorizar a saúde

Política

O candidato a prefeito de Osasco pelo Partido dos Trabalhadores Emidio de Souza disse que para fazer o plano de governo foi necessário pensar em Osasco no Pós-pandemia. “Nós teremos vários desafios sociais e econômicos, teremos que ampliar o sistema de proteção social para desempregados, jovens e idosos, no pós-pandemia é necessário ter muita criatividade”, disse Emidio de Souza que já foi prefeito por duas vezes em Osasco e hoje é deputado estadual licenciado para concorrer a eleição municipal.

Questionado sobre se Osasco consegue fazer obras como o Braço Morto do Tietê com investimento municipal, sem apoio estadual ou da União, Emidio diz que é possível. “Osasco é uma cidade muito rica, nosso PIB é de quase 3 bilhões, temos que ter prioridade, se você priorizar combater as enchentes, você vai combatê-las, se você priorizar a saúde, você consegue resolver. Osasco também consegue obter empréstimos e além disso investimentos através de emendas parlamentares.”

Em seu plano de governo, Emidio diz que vai congelar o IPTU. “Nós pretendemos congelar o imposto por 4 anos, não haverá problemas para a cidade com esse congelamento”.

Ainda segundo, o candidato, o Produto Interno Bruto (PIB) que deixa Osasco como segunda maior economia do Estado de São Paulo é reflexo dos seus dois governos anteriores.

Para o candidato, a pasta da Saúde é o grande problema que se eleito, ele vai enfrentar. “Osasco é uma cidade rica, o problema é como aproveitar a qualidade vida. Se eleito, eu quero rever as terceirizações e quero construir o Instituto da Mulher.”

O representante do Partido dos Trabalhadores (PT) disse que fará um governo democrático. “Quero falar com a população, com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Comercial e Empresarial de Osasco (ACEO), trazer a sociedade para discutir o futuro da cidade.”

Emidio de Souza se diz confiante em disputar o segundo turno. “No segundo turno, a eleição permite que possamos discutir ideias.” Questionado sobre pesquisas eleitorais, ele disse que não se preocupa com elas. “Teve uma pesquisa que eu comecei com 3% e terminei eleito prefeito de Osasco.” O petista também falou sobre Celso Giglio, pois essa será a primeira eleição sem a presença do ex-tucano, ele acredita que parte do eleitorado de Giglio pode votar nele. “Parte dele pode, o eleitor do Celso gostava muito da experiência e de gente que realiza e eu estou representando a experiência.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *