Filho do Coronel Telhada mata um em Osasco

Um homem foi enviado ao IML (Instituto Médico Legal) ontem (2) com quatro tiros no corpo: dois no pescoço, um no peito e outro no abdômen. Ele foi morto em Osasco, durante a manhã após supostamente ter atirado em policiais numa região de mata. Identificado pela polícia apenas pela cor de pele, negra, ele estaria no local sob a suspeita de estar fugindo após uma tentativa frustrada de roubar uma moto próximo dali.

Segundo a Polícia Civil, por volta das 8h, no km 15 da rodovia Castelo Branco, dois criminosos, em uma Honda Hornet, tentaram roubar uma outra moto, modelo Suzuki. Acionados por testemunhas do crime, PMs que estavam a 3 km dali foram ao local. Lá, teriam sido recebidos a tiros e revidaram. Um dos tiros atingiu um caminhão. Ninguém ficou ferido na ocorrência e a moto foi recuperada.

Um dos criminosos fugiu a pé, por um viaduto. O outro roubou um Chevrolet Montana e também fugiu, de acordo com a Polícia Civil. Enquanto os PMs envolvidos na troca de tiros e a vítima do roubo da moto estavam no 10º DP (Distrito Policial) de Osasco, no Jardim Helena Maria, para produzir o registro da ocorrência, chegou ao local o tenente Rafael Enrique Cano Telhada, 32, lotado no COE (Comando e Operações Especiais) e filho do deputado estadual coronel Paulo Telhada (PP-SP).

O tenente Telhada afirmou na delegacia que testemunhas da tentativa de roubo afirmaram à sua equipe policial que um homem estava roubando carros nas proximidades e se escondendo em uma região de mata perto da rodovia Castelo Branco. Telhada e outros dois PMs, o sargento Rodrigo Bolini, 41, e o soldado Rogério Felix da Silva, 38, foram ao local.

Chegando ao local, segundo a versão policial apresentada na delegacia, os policiais do COE foram recebidos a tiros, revidaram e atingiram o suspeito quatro vezes: duas no pescoço, uma no peito e outra no abdômen. O suspeito chegou a ser levado ao hospital regional de Osasco, mas não resistiu aos ferimentos. O outro suspeito não foi localizado.

Os policiais mexeram na cena do confronto. Decidiram levar uma arma para a delegacia, que teria sido utilizada pelo suspeito morto, além de vestimentas que seriam do rapaz. Essas roupas teriam sido identificadas pelos primeiros policiais militares envolvidos na ocorrência, que teriam afirmado que eram semelhantes às usadas pelos criminosos.

Horas depois da ocorrência, o tenente Telhada comemorou a morte nas redes sociais. “O facínora tombou baleado e, socorrido, evoluiu a óbito. Graças ao bom Deus, todos os guerreiros do COE estão bem. A caveira sorriu mais uma vez”. Em stories do Instagram, ele complementou: “mais um combate, mais um inimigo tombado, vitória”. Seus seguidores, em comentários, elogiaram a ação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here