Jussa Garoto é do COB: volta às competições pós-quarentena e com homenagens em Goiás

Colunistas Esportes Márcio Silvio

Ele diz que o resultado não foi bom, que ficou apenas em sexto lugar na Copa Brasil. O fisiculturismo está retornando e Jussa Garoto partiu para a primeira competição no final de semana passado em Goiás. Juscelino Santos Nascimento mora em Cotia e nos palcos do fisiculturismo é aplaudido por ser um atleta quarentão e sendo campeão contra adversários novinhos.

São vários títulos paulistas e nacionais que justificam o atleta no Time Brasil que tem o selo do Comitê Olímpico do Brasil. E representando o País, olha Jussa Garoto disputando sul-americanos e pan-americanos.

Em Goiás e com o sexto lugar na Copa Brasil, após as premiações ele não passou batido como celebridade do fisiculturismo nacional – Jussa teve momento de aplausos particulares ao ser homenageado pela organização da Copa Brasil.

Além de um corpo competitivo músculo a músculo, Jussa é reconhecido por ser um atleta cem por cento natural – nada química para ganhar massa. “Eu cuido da alimentação e mantenho muita disciplina”, diz o supercampeão.

Mas ele tem um lamento: aponta a falta de consenso na modalidade para se adequar às exigências olímpicas. “Deixamos de estar em Tóquio por detalhes”, reforça. Sim, a organização do fisiculturismo no Brasil vacilou nos ajustes, vê o sonho olímpico adiado e isso tem a ver diretamente com Jussa Garoto – certamente seria um dos nomes do Brasil na modalidade em Tóquio 21.

Outra coisa sobre Jussa: ele vive o fisiculturismo profissionalmente. Em Cotia ele tem um bar e precisa desse trabalho diário para poder se manter competitivo. Isso mesmo, ele batalha duramente para se bancar no esporte.

Em Goiás e com o sexto lugar na Copa Brasil, Jussa Garoto deixou o pódio sob aplausos como atleta do Brasil. É recomeço de temporada e já com o ano em fechamento; então, ele se planeja para 2021 mesmo sem pretensões olímpicas, mas pensando nas competições do COB.

E para fechar sobre esse atleta espetacular: tem a doença de chagas e isso dificulta tudo para ele que é do alto rendimento, mais ainda por ser um fisiculturista limpo, cem por cento natural; e no final do ano passado, Jussa estava entre os atletas do Time Brasil homenageados pelo COB – Jussa de Cotia, um dos poucos do Brasil com essa premiação do Comitê Olímpico do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *