Moradora de Barueri, Gaby Morais, dá dicas de financiamento para empreendedoras

Capa Geral

Empreendedora de Barueri: potencialize seu negócio com acesso a crédito.Confira algumas opções

A participação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro enfrenta desafios significativos, apesar dos avanços conquistados nas últimas décadas. Segundo um artigo divulgado pelo Sebrae, até 1962, em um período marcado por normas sociais patriarcais e restritivas, as mulheres casadas precisavam obter autorização dos maridos para abrir uma simples conta bancária.

Ainda de acordo com o Sebrae, apesar das barreiras culturais enfrentadas, as mulheres têm um histórico de pagamento mais pontual. Por essa razão, bancos e instituições financeiras tendem a oferecer crédito com mais facilidade a elas. Mas será que na prática esse crédito é de fato acessível? É o que irei contar no artigo desta semana.

Financiamento para o sucesso
Como moradora de Barueri e empresária, conheço de perto as alegrias e as dores das empreendedoras, que frequentemente se deparam com um impasse quando o assunto envolve a obtenção de crédito. Por isso, acredito ser fundamental reconhecer o papel crucial do empoderamento das mulheres no desenvolvimento de seus negócios. Em março deste ano, um estudo da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) do governo de São Paulo destacou um aumento significativo no número de mulheres empreendedoras no estado.

Nos últimos três anos, houve um crescimento de aproximadamente 25% no número de mulheres que optaram por trabalhar por conta própria, subindo de 1,7 milhão em 2019 para 2,1 milhões em 2022. São Paulo se destaca como líder nesse cenário, registrando o maior número absoluto de empreendedoras.

Com mais mulheres à frente de negócios, o acesso facilitado a linhas de crédito é considerado uma ferramenta estratégica e vital para o desenvolvimento de empresas, seja de pequeno, médio ou grande porte. Esse apoio é especialmente crucial em Barueri, um município que engloba desde áreas privilegiadas como Alphaville até comunidades periféricas, onde uma parcela significativa das empreendedoras fica à deriva. Esse suporte financeiro pode ser direcionado para otimizar o processo de produção, contratação, expandir a carteira de clientes, reforçar a comunicação, ou investir em marketing e divulgação, iniciativas que têm potencial para aumentar o faturamento do negócio.

A cidade de Barueri, com sua diversidade socioeconômica, apresenta um potencial significativo para os negócios liderados por mulheres. Através do apoio financeiro adequado, é possível não apenas fortalecer empreendimentos já existentes, mas também incentivar novos projetos em setores variados da economia local. Isso não só contribui para a autonomia financeira das mulheres empreendedoras, mas também para a expansão e o fomento da economia regional.

Um universo a ser exploradoPesquisa conduzida pelo Instituto Rede Mulher Empreendedora afirma que 57% das mulheres nunca buscaram crédito, optando por empréstimos de amigos ou familiares (15%) ou pelo aumento do limite do cartão de crédito ou empréstimo pessoal (11%). Diante de um universo a ser explorado pelas empreendedoras, separei algumas dicas para auxiliar donas de negócios. A seguir, acompanhe algumas modalidades de crédito.

Desenvolve SP e Desenvolve Mulher Sustentável, dois projetos do governo estadual oferecem linha de crédito direcionada a empresas administradas por mulheres, com limites de até R$ 200 mil. O processo de pedido de crédito da Desenvolve SP não necessita de um intermediário nem de abertura de uma conta bancária. A empreendedora deve primeiro acessar o site www.desenvolvesp.com.br.

O Programa de Simplificação do Microcrédito Digital para Empreendedoras (SIM Digital), estabelecido por lei em agosto de 2022, facilita o acesso ao crédito para mulheres que estejam envolvidas em atividades produtivas ou de prestação de serviços, tanto em áreas urbanas quanto rurais, de forma individual ou coletiva. O programa abrange tanto pessoa física quanto microempreendedoras individuais no âmbito do Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO). Para pessoas físicas, as mulheres podem receber crédito de até R$ 2.000, enquanto microempreendedoras individuais podem acessar até R$ 5.000. O prazo máximo para pagamento é de 30 meses. www.caixa.gov.br.
O programa CAIXA Pra Elas – Empreendedora, da Caixa Econômica Federal em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), tem o propósito de apoiar as mulheres empreendedoras em todas as etapas de seus negócios e contribuir para o desenvolvimento das microempresas, a estratégia inclui a formalização das mulheres como Microempreendedoras Individuais (MEI), o fomento à capacitação e a disponibilização de soluções de crédito. www.caixa.gov.br.

*Moradora de Barueri (SP), Gaby Morais é estrategista política e referência em representatividade feminina. Com mais de duas décadas de experiência em campanhas políticas nacionais e internacionais, a profissional é especialista em capacitar e qualificar mulheres para a política. Gaby é formada em Inteligência Estratégica, mestre em Marketing Político e Campanhas Eleitorais pela Universidade de Alcalá, na Espanha, e possui MBA em Gestão Pública. Também é criadora do podcast Voz da Vez, que debate o olhar mais humano para o futuro através da perspectiva feminina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *