Mulher pula do segundo andar para fugir de marido agressor no Quitaúna

Capa Cidades

Sexta feira dia 22 de maio, um dia comum de trabalho quando recebo uma mensagem em uma das minhas redes sociais.

Uma senhora, moradora do bairro de Quitaúna em Osasco, pedindo socorro, rapidamente respondi a mensagem passando meu número de contato, não demorou muito para que essa mulher ligasse aos prantos.

Em seu timbre de voz era possível sentir o seu medo e angústia, essa mulher era mais uma que entrava para as estatísticas de violência doméstica em época de isolamento social.

Quando atendi a ligação, suas primeiras palavras foram – Doutora me ajude, voltei a pouco do hospital e tenho medo de ficar em casa!

Essa mulher chorava e era difícil entender o que estava acontecendo, pedi para que ela ficasse calma para eu tentar ajudá-la, foi então que ela respirou fundo e começou a falar.

Explicou que no último dia 11 de maio, viveu horas de horror e pânico ao lado do seu ex-companheiro, relembra que pela manhã quando caminhava para o seu local de trabalho encontrou com o seu agressor que já estava alterado e iniciou as ameaças.

Durante todo o dia ele ficava circulando próximo ao seu local de trabalho, deixando bem claro que voltaria com ela para a casa; ela querendo ou não, senão, a mataria na frente de todos, por conta do desespero e medo, ela permanecia em silêncio, pois não era a primeira vez que ele a ameaçava.

Ao final de seu expediente o agressor fez o que havia prometido e foi até a casa da vítima, ele já estava alterado por conta dos entorpecentes, sentou no sofá e iniciou as ofensas, obrigou a entregar a chave do apartamento, porém, temerosa não quis entregar e assim iniciou as agressões físicas jogando a vítima no chão com diversos xingamentos e agressões.

Ele a deixou jogada no chão transtornada por conta da pancada na cabeça e continuava as ameaças e ofensas, quando ele pega o celular da vítima e diz que se encontrasse alguma coisa iria matá-la, finalmente ela tem forças para se levantar do chão e novamente o agressor iniciar a violência, em um momento sabendo que ele não iria poupar a sua vida, a sua única alternativa de se salvar foi correndo para o quarto e ela, num ato de desespero, mas como sua única alternativa naquele momento, pulou do segundo andar do prédio, alguns minutos se passaram e uma vizinha a encontrou caída e quase desmaiando de dor, a vitima foi socorrida e levada até o hospital mais próximo.

Depois de ouvir toda a história, entrei em contato com o GCM Carvalho que prontamente colocou-me em contato com a GCM Noemi que auxiliou em todo o processo de acolhimento desta vítima.

No sábado, a patrulha da Guardiã nos acompanhou e foi feito todo os tramites necessários para que essa vítima fosse assistida pela Guarda Municipal e pudesse ficar segura.

Lembrando que a Guardiã Maria da Penha é recente e hoje auxilia diversas mulheres na mesma situação.

Por fim, a assistida em entrevista relembra toda a história em lágrimas e alerta a todas as mulheres – “Eu precisei viver 10 anos com essa pessoa e chegar nesse ponto para pedir socorro. Peçam ajuda!!! Não esperem que o pior aconteça como aconteceu comigo”.

A vítima passará por uma cirurgia em breve, pois terá que colocar pino no tornozelo pois quebrou quando pulou do segundo andar.

Gratidão a todos os envolvidos, especialmente pela participação na ocorrência da GCM Tarsila, GCM Cassiano e do GCM Anacleto.

Equipe da GCM de Osasco e a repórter da matéria Wal Torres

1 thought on “Mulher pula do segundo andar para fugir de marido agressor no Quitaúna

  1. Infelizmente não é a primeira vez q ela passa por isso. Eles se separaram passam-se meses, voltam o relacionamento e ele volta a aparecer no condomínio. Sempre embriagado e fazendo escândalos. Até nós moradores desse condomínio temos medo dele, e sempre quando vemos que ele voltou a aparecer por ali, ficamos surpresos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *