O que a educação financeira tem haver com a pandemia?

Colunistas Dra. Wal Torres

Sou advogada e autônoma como muitos brasileiros e vivo o dia a dia dos maiores desafios de ser um autônomo, seja aqui no Brasil e em qualquer lugar do mundo.

Sabemos que impostos/concorrência e etc… São fatores bastante relevantes, mas e se eu não puder exercer minha atividade?

Há um tempinho, conheci um trabalho apresentado pelo Fábio Yamaguti o qual me chamou atenção na época e hoje estou passando por um dos fatores que conversamos: O fato de não poder trabalhar por conta de uma doença.

Infelizmente fui diagnosticada com Covid-19, estou em casa em repouso e ainda consigo de forma bastante debilitada exercer algumas atividades. Mas e se o caso se agravar e tiver que ficar internada no hospital ou mesmo em uma UTI, minha renda vai cair e o que faço com as despesas que tenho? Quem vai pagar as minhas contas? Vou ter que utilizar minha reserva que tenho para outros planos por conta deste risco? Há alguns meses pude conhecer e me planejar financeiramente para um risco como este.

Difícil imaginar que um risco de doença ou mesmo um acidente possa ocorrer, mas ocorrendo como ficamos respaldados? Acredito que ninguém assim como eu possa controlar quando vamos ficar doentes e a gravidade da nossa doença, podemos no máximo ser preventivos. No caso de um acidente o risco é ainda mais incontrolável! Então, hoje entendo que situações como estas são inerentes a nossa vontade e devemos estar preparados financeiramente.

Uma reflexão … Se você tivesse uma galinha que botasse ovos de ouro, você protegeria primeiro o ovo ou a galinha? Infelizmente nos dias atuais a maioria das pessoas têm colocado proteção no ovo que seria a representação dos nossos bens ao invés de quem gera a renda.

www.drawaltorres.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *