Pedro Sotero e os desafios de transformar Osasco

Destaque Política

Pedro Sotero é o atual Secretário de Habitação da Prefeitura de Osasco, entre 2016 e 2020 foi Secretário de Finanças. É Advogado, formado pela Universidade Federal do Ceará. MBA em Direito na Economia e na Empresa pela FGV/RJ e Mestrado em Direito Constitucional pela PUC/SP. Ex-Coordenador Executivo do Curso Anual de Direito Econômico promovido pela SBDP – Sociedade Brasileira de Direito Público Na vida pública, foi assessor especial da Presidência da SPTuris (Prefeitura de São Paulo), Conselheiro de Administração da CEPETUR, e membro da Comissão de Avaliação das Organizações Sociais de Cultura de São Paulo. Como diretor executivo do IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão – participou da criação e implantação do Paço do Frevo, Cais do Sertão, Parque Urbano da Macaxeira e Parque Santana e Academia Recife, todos em Recife, Pernambuco. Integrou a equipe de desenvolvimento e implantação do Museu do Futebol e do Museu da Língua Portuguesa, ambos em São Paulo. Foi Diretor Executivo e Associado Fundador da Catavento Cultural e Educacional, que criou a Fundação Catavento e o Catavento Cultural e Educacional – também conhecido como Museu Catavento, em São Paulo, do qual segue como membro do Conselho Administrativo.
Em 1994 arrumou o primeiro emprego em uma construtora. “Na época tinha acabado de ser aprovada a lei de Licitações, precisava montar um departamento de licitações, comecei a ter contato com o governo, achávamos que era tudo muito dificil. Ai fui me apaixonando pela causa pública no geral. Desde de 1994, eu estive em um dos lados do balcão ou em empresas que desenvolvem serviços públicos ou diretamente nas prefeituras, governo do estado ou federal.”
Em certo momento, Sotero decidiu voltar para o sudeste do País, e Osasco foi a cidade escolhida. Num passado ele já tinha relação com a cidade pois trabalhou como advogado, ele havia prestado serviços na administração de Celso Giglio e Emidio de Souza. Mas foi um convite do ex-prefeito Jorge Lapas que fez Pedro ficar na cidade. “O Lapas lembrou do meu nome e me convidou para vir. Eu comecei a fazer um trabalho em 2015 na secretaria de Finanças, mas assumi a secretaria em 2016.”
Com Sotero liderando a secretaria de Finanças, a cidade começou a ter uma situação diferente na área. “Nós fizemos uma evolução, a meta do Lapas era aumentar a receita da cidade. Nós tínhamos muitas possibilidades para crescer, foquei mais na captação, Osasco tinha muita sonegação fiscal, nós combatemos, e durante o período que estive lá, eu trouxe 1 bilhão de receita a mais. Nós tiramos Osasco de ter uma das piores arrecadações per capita do Estado para chegar na média do Estado. A arrecadação não refletia a pujância econômica e hoje ainda não reflete. Mas nós temos um espaço para crescer. Crescemos com muita reponsabilidade. Nós fizemos duas frentes, aumentamos a arrecadação e puxei mais a execução orçamentária. Os prefeitos Jorge Lapas e Rogério Lins são grandes aliados ao crescimento. Sem eles, Osasco não mudaria essa percepção. Zeramos a dívida, deixamos de ser um mau pagador, para ficarmos conhecidos como um dos melhores.”
O desafio agora é transformar a arrecadação em melhorias para a população. “Começamos a bater recordes de arrecadação, mas aí começaram a nos criticar pois tinha tanto dinheiro e a cidade toda esburacada. É a partir da arrecadação que nós teríamos dinheiro para fechar os buracos. Os próximos anos serão de boas entregas do prefeito Rogério Lins, mas temos que aguardar o que vai acontecer com essa pandemia.”

Foram seis anos de trabalhos na secretaria de Finanças, qual o legado o senhor deixou?
O Tribunal de Contas reconheceu o trabalho da secretaria, eu tenho muito orgulho de ter passado por lá. Os servidores da secretaria são sensacionais. Eles têm orgulho de trabalhar na secretaria, é uma secretaria conhecida e reconhecida pelo trabalho que entrega. Eu saí de lá com a cabeça erguida e com sensação de dever cumprido.

Porque Osasco virou a “queridinha” dos empresários?
Nós temos que contar também com o fator sorte, quando começamos trazer a captação do Mercado Livre lá atrás, eu fui questionado, diziam que empresas de internet não davam em nada e deu certo. Hoje o Mercado Livre sozinho paga a mesma quantidade de impostos que o grupo Bradesco. Diretores do Mercado Livre que saíram da empresa e montaram outras também trouxeram suas instituições para Osasco. O Rogério Lins construiu sua imagem nas redes sociais, a rede dele é maior que a da prefeitura, ele abraçou a ideia do mundo digital e foi atrás de empresas da área digital. E acabou dando certo pois veio a Dafiti, Ifood, B2W, Uber, Rappi, shopper, é um movimento irreversível. A nossa estrutura favorece muito, tanto a posição geográfica como a de infraestrutura, investimos em tecnologia e hoje temos o melhor sistema tributário do país. É esse o nosso diferencial quando vamos conversar com as empresas.

E agora como foi encarar um novo desafio?
Para mim é uma experiência muito boa. Antes eu dava suporte a outras secretarias, para mim era importante uma mudança. Eu sei que vou mudar a vida de muitas pessoas. Antes eu via números, hoje eu vejo as dificuldades das pessoas. Eu fui em uma área que vai ganhar uma quadra e via nos olhos das crianças a felicidade em ganhar aquele equipamento público. Eu e o prefeito andamos em algumas obras e as pessoas vem nos agradecer. Teve um dia que pararam nossos carros no Canaã, eu pensei que era um protesto, mas uma mulher estava com cartaz agradecendo o que nós tínhamos feito no Rochdale. As pessoas estão felizes com nosso trabalho. Nós estamos criando condições para que as pessoas fiquem bem nas áreas mais carentes. A cidade é muito grande temos muitos desafios. Estamos batalhando. Vamos fazer o viaduto Miguel Costa, nós vamos dar um novo bairro para a cidade. Nós estamos integrando uma ilha que estava separada da cidade. Outro exemplo é o Flamenguinho no Piratininga, onde tem várias pessoas que moram lá e que não tem espaço de lazer . Temos que olhar para Osasco e pensar nas cidades do Futuro. Temos que oferecer uma vida social e esportiva próximo a residência dos moradores, sem precisar de grandes deslocamentos.

O governo federal ajudava muito a cidade de Osasco, hoje como está a parceria?
Houve um distanciamento, uma crise econômica grande do governo federal, deram uma encurtada no recurso federal. O meu desafio é voltar a conversar com eles. Já tivemos algumas boas conversas com o governo federal. Falamos com algumas entidades. Tudo que puder somar, vamos trazer.

Na área política, o senhor é o presidente do DEM, e o partido foi o que mais cresceu nas últimas eleições. Qual o segredo?
É um partido de referência nacional que não tinha tanta representatividade em Osasco, Nas últimas eleições fomos o sexto partido mais votado, passamos o PSDB, PT. MDB e PDT. Nós queremos resgatar o sentimento de gostar de discutir política. A eleição foi um primeiro passo, mantivemos o grupo. Queremos consolidar o DEM na cidade. Em 2022, estamos conversando com outros partidos para fazer um deputado. Um só partido não vai levar a lugar nenhum. Queremos compor com outros políticos da região do DEM. Temos uma estrutura parruda na região. O segredo vai ser a convergência dos grupos. Caso contrário não elegeremos ninguém.

O senhor tem vontade de se candidatar?
Não. Eu trabalho com política desde 1994. Mas para você ser candidato tem que trabalhar muito e se viabiizar, uma coisa é ter vontade, outra é ser viável. Meu desejo pessoal é ganhar o jogo, tenho que ter uma seleção para ganhar o jogo.
Olhar para o banco e se orgulhar. A construção é coletiva, quero criar um ambiente vencedor, isso me satisfaz.

Quais são os seus sonhos?
Eu tenho um propósito na vida que é deixar um legado para que eu possa me orgulhar. Quanto mais eu puder mudar a vida de uma pessoa, eu vou atingir meu papel. Na época que eu ganhei mais dinheiro na minha profissão, foi a época que eu fui mais infeliz. Eu não conseguia enxergar o meu trabalho. Meu sonho é ter condições de continuar a ajudar as pessoas.

Quais são seus ídolos
Tenho referências, meu pai e minha mãe, sou cristão, tenho referências cristãs. Tenho muito medo de idolatrar alguém e não saber o dia a dia dessas pessoas. Os meus exemplos são meus pais. Aprendo muito com o Rogerio, ele me surpreendeu, mais jovem do que eu, ele é extremamente inteligente, no xadrez você tem que pensar três jogadas a frente, ele enxerga 5 jogadas a frente, por isso tornou-se a maior liderança da cidade.

 

Obras em andamento

l Viaduto de acesso ao Conjunto Miguel Costa
Previsão de entrega para setembro de 2021
Serão beneficiadas diretamente e de imediato 960 famílias do Conjunto Habitacional

l Praça de Esportes do Flamenguinho
Previsão de entrega para setembro de 2021
Será um dos mais modernos espaços de lazer da cidade e vai atender as famílias de toda a região do Jardim Piratininga, na Zona Norte.

l Conjunto residencial do Novo Osasco
Conclusão até o final de junho e entrega das unidades em julho
São 40 apartamentos de 49,5 m² cada

l Canalização do Rochdale
Obra de infraestrutura e combate às enchentes que vai beneficiar também moradores do Canaã e Aliança.

l Programa Moradia Legal – Regularização Fundiária
Em março, mais quatro áreas foram contempladas, somando cerca de 400 lotes regularizados
CR (no Bela Vista), CA (no Baronesa), Ônix (na Vila Ayrosa) e Vila Santa Isabel (no Jardim Conceição). O programa garante benefícios como endereço oficial, direito de usar imóvel como garantia em financiamentos bancários e a segurança de deixar o imóvel como herança.

 

Secretaria de Finanças

l Alta de 62,35% na Receita, o que representou cerca de R$1,1 bilhão a mais em 6 anos. A Receita Consolidada (total arrecadado pela administração municipal) passou de R$1.758.293.523.90 em 2014 para R$2.855.078.622,94 em 2020
l Ao mesmo tempo, a Dívida Consolidada atingiu um de seus menores patamares. O ano de 2020 foi fechado com valor de R$1.178.852.574,65, diante de um recorde de R$1.270.778.165,33, registrado em 2017. A redução foi de 7,1%
l Com as contas em ordem, houve também maior volume de pagamentos de precatórios.O valor destinado aos precatórios praticamente quadruplicou, passando de R$23,7 milhões em 2014 para R$95,2 em 2020 (a serem pagos ao longo de 2021).
l Osasco agora tem “selo de bom pagador”, com melhora nas notas da STN (Secretaria do Tesouro Nacional), que atualmente é B, e no iFiscal (B+) e iGov (B+) do TCE (Tribunal de Contas do Estado). No iFiscal, o conceito B+ é o melhor dos últimos 5 anos. Em 2014, era C-. No iGov, o resultado também é melhor em 5 anos.
l Quebrando uma sequência negativa de 7 anos, houve aumento, pelo terceiro ano seguido, do índice de Participação dos Municípios (IPM) de Osasco em 2020, que funciona como um “termômetro” da economia. A cidade puxou, inclusive, a alta do Estado e subiu do 14º para 13º lugar no ranking paulista.
l Osasco passou a ocupar o 2º lugar no ranking estadual e o 8º entre os maiores PIBs do País, sendo a primeira entre as não capitais.

2 thoughts on “Pedro Sotero e os desafios de transformar Osasco

  1. Parabéns pelo projeto, mas gostaria de saber como vai ficar a favela da Av Flora tem algum planejamento sobre aquela situação que se encontra , construindo cada vez mais casas.
    Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *