Pesquisa da Fipe aponta diminuição dos congestionamentos na Região Oeste

Uma pesquisa realizada pela Fipe usou dados de viagens intermediadas pelo aplicativo da Uber para criar um indicador inédito que examina a evolução dos congestionamentos em toda a região metropolitana de São Paulo nos últimos anos. A pesquisa identificou uma redução do trânsito na Região Oeste da Grande São Paulo, que inclui municípios como Osasco, Barueri, Cotia, Carapicuíba, Taboão e Itapecerica da Serra, entre outros.

Nesta região, o índice de congestionamento passou de 26,2% em 2016 para 18,1% em 2018. Considerando toda a Grande São Paulo, o índice passou de 39,6% para 31,4% no mesmo período. O indicador, que representa o tempo extra dos deslocamentos em relação ao que seria possível se houvesse tráfego livre, foi construído a partir da plataforma Uber Movement.

São Paulo é a primeira metrópole do país a entrar na plataforma, que consiste em um site público e gratuito – movement.uber.com – que disponibiliza o tempo médio dos percursos entre centenas de áreas da Grande São Paulo, calculado a partir dos dados agregados de viagens pelo aplicativo – em 2018, a Uber ultrapassou a marca de 1 bilhão de viagens no Brasil. “O objetivo do Movement é contribuir com o trabalho de gestores públicos, planejadores urbanos, pesquisadores e interessados em mobilidade. Usando insights obtidos com os dados, é possível avaliar com eficiência o impacto de diferentes políticas e tomar decisões fundamentadas sobre investimentos em infraestrutura”, afirma Ivo Corrêa, diretor de regulação da Uber na América Latina.

O estudo da Fipe foi coordenado por Eduardo Haddad, professor titular do Departamento de Economia da FEA/USP que recebeu a missão de explorar as possibilidades de pesquisa com os dados do Movement. Para criar o índice, os pesquisadores verificaram o tempo de viagem de cada área para cada área, em cada hora do dia, para chegar aos menores e maiores valores em cada dia, nos três anos – correspondendo a um total de 26,3 mil horas de trânsito analisadas.

No site do Uber Movement, é possível comparar os tempos de viagem antes e depois do bloqueio. Os percursos dos Jardins, na capital, até Alphaville, em Barueri, ficaram 87% mais demorados no pico da tarde, nos dias úteis, considerando a média do mê seguinte (dezembro) em relação ao mês anterior (outubro) à interdição da marginal.

A Fipe também identificou que, durante a greve dos caminhoneiros, em maio de 2018, que provocou falta de combustível nos postos, o índice de congestionamento caiu 9,4 pontos. O Uber Movement mostra que, na primeira sexta-feira da greve, as viagens de Osasco até a Penha, na zona leste da capital, ficaram em média 45% mais rápidas em relação à semana anterior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here