Podemos ou não podemos

Semana passada, esta coluna passou uma informação sobre uma deputada que estaria em situação delicada com referência à sua reeleição em 2018. Cautelosamente, evitamos citar o nome pois as informações que chegaram estavam incompletas, tanto poderia ser Bruna Furlan ou Renata Abreu; ambas da região e muito conhecidas. Mas, o caso deixou de ser sigilo após a Revista Veja trazer à tona o escândalo não só da deputada Renata Abreu (Podemos) como outros de outras siglas. Vejam só. O tal fundo eleitoral foi criado, através de recursos públicos para evitar abusos e financiar candidatos sob a total responsabilidade do partido.

 

De cabo a rabo

É aí onde entra o enrosco que mostra Renata Abreu sendo investigada. Candidata à reeleição em 2018, a presidente nacional do Podemos era também responsável pela distribuição da verba assim como o presidente estadual e candidato ao Senado Mario Covas Neto. Pois bem para as 70 candidaturas a federal do Podemos em São Paulo, ficou destinado uma verba de 2.440.332,62 reais. O que a Procuradoria Eleitoral está investigando é que se 83,19% destes valores teriam sido repassados à campanha de Renata Abreu; um valor de 2.030.112,70. Caso essas denuncias se confirmem, não há nenhuma dúvida que seu mandato estará correndo sérios riscos de cancelamento, não só para ela como a suplentes envolvidos em toda a operação. Mandato cassado e oito anos inelegibilidade para todos que concorreram.

 

O que diz a lei
A distribuição dos valores para cada sigla deveria seguir quatro critérios diferentes. Do montante total, (1,7 bilhão) 2% seriam divididos igualmente entre todas as legendas registradas no TSE; 35% divididos entre os partidos com ao menos um representante na Câmara dos Deputados, na proporção dos votos obtidos pelos deputados na última eleição (2014). 48% deveriam ser divididos conforme o número de deputados de cada partido na Câmara; e 15% serão divididos conforme o número de senadores de cada sigla.

 

Quer ser prefeito

Aqui em Osasco, apesar do vereador Batista e Jorge Poio tentar tirar do Avante; antigo PTdoB, o presidente Veríssimo de Souza, as tentativas foram frustradas pelo diretório estadual. O partido vai bem em Osasco com a real possibilidade de ter candidatura própria em 2020, tendo Gelso Lima numa candidatura a prefeito. Até então no Podemos, Gelso não nega a ninguém os interesses para 2020. “Entrei de cabeça na política em 2018, e agora quero dar continuidade”, afirmou Gelso que foi o coordenador geral da campanha de Rogério Lins em 2016, e que em 2018 pela primeira vez saiu candidato a deputado estadual.

 

Lindoso também

O ex-presidente da Câmara de Osasco, Dr. Lindoso, já respira 2020. Ele tem sido visto todos os finais de semana frequentando bairros da cidade, fazendo consultas, conversando com munícipes, enfim se preparando realmente para sair candidato a prefeito de Osasco em 2020, claro pelo PSDB e com todo apoio e aparato do governador João Dória. Para o vereador tucano, o tempo passa muito rápido e as chances não podem ser dispensadas. Com a morte de Celso Giglio, Lindoso é um nome forte dentro do partido em Osasco.

 

Um é ruim, dois e bom e três é demais

Vereadores de Osasco, andam se reunindo bem discretamente para tratar de um assunto de suma importância para eles. Querem votar rapidamente o aumento das cadeiras no Legislativo de Osasco. Um pequeno grupo mas que pode crescer bem mais. As atuais 21 passaria para o teto disponível de acordo com a lei para 27 cadeiras. O lado temeroso é justamente como será encarada a situação nos meios sociais, que circulam diariamente pela cidade. Pelo menos um nome já disse ser contrário; o vereador Didi (PSDB). Para ele as cadeiras deveriam ser reduzidas. “21 vereadores é muito”, disse em outro momento contrariando muitos colegas na Casa.

 

Deputado a partir de hoje

O ex-prefeito de Osasco, Emidio de Souza, dará início ao seu mandato de deputado estadual, durante solenidade nesta sexta-feira,15, às 15h, no Plenário Juscelino Kubitschek da Assembleia Legislativa de São Paulo. A cerimônia será iniciada às 15h com a posse e o juramento dos parlamentares. Na ocasião, também será realizada a eleição da Mesa Diretora da Casa para o biênio 2019/2020. Emidio já teve passagem pela Assembleia por duas oportunidades. Na primeira, como suplente e na segunda eleito nas eleições de 2002.

 

Um pé lá, outro cá

O cantor católico praticante, Fábio Teruel, está ainda analisando se deve sair candidato a prefeito em Barueri ou Osasco. Algumas dúvidas ainda permanecem agitando sua cabeça.
Em Barueri o que pode obstruir sua candidatura seria uma aliança de Rubens Furlan (PSDB) com o ex-prefeito Gil Arantes (DEM). Essa condição seria uma das que ele iria considerar frágil e mudar de cidade.
Osasco, talvez seria melhor, acha Teruel. Só que aqui seu partido é o mesmo do prefeito Rogério Lins e neste caso teria que procurar uma sigla que seja importante para ele.
Vamos aguardar.

 

Eles me querem
Um nome guardado em silêncio, ainda por enquanto, é o empresário Luciano Camandoni (PTB). Outro nome que entrou na política e não quer desgrudar dela. Luciano em 2016, em última hora foi o escolhido pelo então prefeito Jorge Lapas para ser vice na sua candidatura onde tentava buscar a reeleição. Apoio já têm muitos, dizem. Seriam grande parte do empresariado de Osasco. Atualmente reservado, Camandoni continua cuidando da empresa, criada pelo seu pai. Antes estava reservado a cuidar da presidência do Lyon Clube. Sempre fala que foi despertado de madrugada para receber o convite de vice.

 

Artistas agradecem

Em segunda discussão pela Câmara Municipal, o texto de autoria do vereador Professor Ladenilson (PMB), tem como objetivo regulamentar as apresentações artísticas e culturais nas ruas e praças de Carapicuíba, assegurando, inclusive, que os artistas, cumprindo os critérios estipulados pelo Legislativo, não sofram qualquer ação arbitrária das autoridades públicas. Medidas semelhantes também estão sendo tomadas por outras cidades, como a capital paulista, que regulamentou tal manifestação artística por meio da Lei n° 15.776/2013.

 

Visita

Everton Assis e Rauzinho, dois vereadores de Manaus que estiveram visitando a Câmara de Osasco na tarde de ontem, quinta-feira, à convite dos vereadores De Paula e Didi. A oportunidade serviu, também, para os dois edis conhecerem o novo prédio na Avenida dos Autonomistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here