Polícia prende em Osasco, acusado de ter matado empresário capixaba a pauladas

Capa Cidades


Fonte: TV Gazeta

Está preso o principal suspeito do assassinato do empresário Gerson João Modolo, que foi morto a pauladas no dia 23 de janeiro de 2019 dentro de sua pousada em Aracê, em Domingos Martins, no Espírito Santo.

Na época, a polícia encontrou uma frase escrita ao lado do corpo escrita com o próprio sangue da vítima. “Se você não pode me pagar em dinheiro, me paga com a vida”, dizia a mensagem.

O suspeito do crime, um homem de 38 anos, foi localizado e preso na cidade de Osasco no dia 29 de abril. A Polícia Civil capixaba, que conduziu as investigações, teve o apoio da Polícia Civil de São Paulo.

De acordo com o titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Venda Nova do Imigrante, Alberto Roque Peres, o crime foi motivado por um desentendimento entre Gerson e o suspeito, relativo à venda de madeira, que já durava sete meses.

“O suspeito trabalhou na pousada e tinha uma amizade com a vítima. A vítima tinha cortado uma madeira e o indiciado se dispôs a levar elas até a Grande Vitória para que fossem feitos móveis. Ambos ganhariam dinheiro com isso. As madeiras foram entregues em Cariacica, mas a qualidade dos móveis, segundo a vitima, não estava de acordo com a combinada”, explicou o delegado.

A partir de então, Gerson passou a cobrar do suspeito o restante da madeira, bem como uma indenização pela má qualidade dos móveis. Já o suspeito, exigia o pagamento pela realização do serviço.

Alberto Roque contou que o suspeito do crime já possuía passagens pela polícia por roubo e receptação, além de um mandado de prisão em aberto por um homicídio cometido em Cariacica. Ao descobrir os fatos, Gerson teria, inclusive, ameaçado entregar o rival à polícia, o que teria piorado o atrito entre ambos.

Segundo o delegado, o crime não foi premeditado. No entanto, as provas obtidas pela perícia do local do crime, que não encontrou vestígios de luta corporal, indicam que o acusado se aproveitou de um momento de distração de Gerson para surpreendê-lo com os golpes.

“No dia do crime os dois discutiram novamente e, por fim, o suspeito agrediu covardemente a vítima até a morte. Em seguida, escreveu uma mensagem no chão com o sangue da vítima, demonstrando frieza. Depois ele fugiu e só foi localizado agora”, relatou o delegado.

O delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, destacou que o crime na época provocou grande comoção social pela forma como foi praticado.

“O investigado já responde por outro homicídio praticado tempos atrás, ou seja, ele tem uma personalidade perversa, psicopática. Após o crime, ele fez questão de deixar escrito com sangue frases sobre o que ele fez”, ressaltou.

O homem detido ainda está em São Paulo e aguarda transferência para um presídio no Espírito Santo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *