Pra onde sopram os ventos

Muitos comentários já colocam o ex-prefeito de Osasco Emidio de Souza (PT) como provável candidato a prefeito. Sem dúvida, ele realmente tem o desejo em retornar ao comando da prefeitura de Osasco. Foi prefeito de 2005 a 2012 e promoveu muitas transformações na cidade. Claro que os governos Lula e Dilma foram fundamentais na sua administração com muitas obras, tanto na educação como habitação e outros setores importantes na cidade como o comércio a abertura de empresas e somado a isso o fim da burocracia, e a consequente queda dos impostos (ISS). Os bons ventos batiam na cidade com um governo municipal integrado ao governo federal. A sintonia estava perfeita.

 

Efeito Lula

E foi graças ao seu governo, que hoje Osasco é o segundo PIB (Produto Interno Bruto) do estado de São Paulo e sexto no país; o que coloca a cidade à frente de vinte capitais. Mas a derrocada de seu partido pelas ações da Lava Jato e o envolvimento de membros famosos da sigla e até a prisão de Lula, condenado já em segunda instância e com outras prováveis condenações em vista tornou as eleições de petistas um problema sério aos seus membros.

 

2016, um ano pra esquecer

Ciente disso, e com a consequência de em Osasco, o partido não ter eleito nenhum vereador em 2016, e até ter prejudicado a eleição de Jorge Lapas, antes petista, mas já em outra sigla; o PDT, 2016 foi uma mostra que a cidade estava atenta aos escândalos em nível estadual e federal. E ano passado, nas eleições de 2018, Emidio foi eleito deputado estadual, mas os votos na cidade não foi o que ele esperava; obteve 65.898 votos no computo geral e em Osasco 23.154 votos. Muito pouco para quem foi prefeito por oito anos e que teve obras maravilhosas, deixando sua marca.

 

Cautela, por enquanto

E claro, não deve e nem pode confirmar candidatura faltando 14 meses para a eleição de 2020. Indagado, ele sempre afirma que o grupo – executiva e os filiados – vai decidir. Esperto e com bons motivos vai aguardar o momento certo. Serão as pesquisas internas que deverão direcionar se sai ou se abdica às urnas em 2020. Emidio tem comentado aos mais próximos sobre os riscos de uma candidatura para prefeito em Osasco, sendo ele filiado ao PT e tesoureiro nacional da sigla, e ainda mais no governo Bolsonaro. Se aconteceu rejeição com Lapas, mesmo depois de ter saído e ficado a pecha de petista. A derrota seria um enorme desgaste na sua carreira política.

 

Sem partido, mas por enquanto

Dois vereadores de Osasco, atualmente estão sem partido; o presidente Ribamar Silva e Daniel Matias(foto), secretário da Mesa Diretora. Ambos eleitos em 2016 pelo PRP e atualmente Patriota, fusão efetuada com o antigo PEN (Partido Ecológico Nacional). Ribamar tem convites para assinar filiação do DEM e do PSDB. Daniel Matias, indagado na terça-feira, afirmou que só irá decidir qual partido irá depois de setembro, mas não revelou qual seria a sigla. Como ele e Ribamar são amigos e parceiros provavelmente seguirá o mesmo caminho do presidente da Casa. A saída do Patriota, se deu pela fusão, algo permitido na Lei Eleitoral. Fora isso somente na janela em abril de 2020.

 

Governador ou senador

Em Barueri, o prefeito Rubens Furlan (PSDB) vai partir pra sua reeleição em 2020. A boa aceitação na cidade e sua qualidade política o coloca como um nome bem à frente dos demais para a disputa. Mas outros nomes já despontam com prováveis candidaturas. Na opinião de alguns Fabio Teruel (Podemos), cantor e missivista, seria um nome de forte concorrência. Outro que deve vir é Carlos Zicardi (PL), que foi candidato apoiado por Furlan em 2012 e que perdeu para Gil Arantes (DEM), que desistiu da reeleição em 2016. Ainda temos Carlinhos do Açougue (DEM), João Alexandre (Solidariedade) e pelo PT Baltazar. Deve vir mais nomes. Quanto a Furlan, ele está de olho em 2022. Se reeleito, fica dois anos prefeito e tenta realizar um sonho maior.

 

Uma farda por ano

Os guardas municipais de Osasco, poderão ter uma vez por ano um subsídio farda. Os valores definidos seriam de 942,00 reais. Esse é um projeto de lei do presidente da Casa, vereador Ribamar Silva (Sem Partido) em que cria o tal Auxílio Fardamento. O projeto que já passou pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) deve logo entrar na pauta para discussão e votação. O projeto prevê que todos os contemplados deverão guardar a nota fiscal do material adquirido anualmente sobre os valores repassados junto aos vencimentos. A documentação fiscal deverá ser mantida por dois anos sem rasuras. Isso para caso de fiscalização para verificar se não foi desvirtuado a verba, o que pode gerar crime de apropriação indébita.

 

Transporte gratuito, mas aos necessitados

O vereador de Osasco De Paula (PSDB) se reuniu na última segunda-feira (12) com a senadora Mara Gabrilli (PSDB). Durante o encontro, o tucano pediu a destinação de emendas parlamentares para viabilizar a Lei Municipal 4.887/2018 que obriga a secretaria de Saúde a transportar gratuitamente pacientes em tratamento médico. O pedido do vereador é que os tais recursos possam servir para a aquisição de, pelo menos, três veículos com capacidade para 12 passageiros. De Paula também pediu apoio à senadora na aprovação do Projeto de Lei 18/2019 de sua autoria, em tramitação na Câmara Municipal, que obrigará próprios públicos e privados, em Osasco, a disporem de, pelo menos, um funcionário treinado para auxiliar pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here