Segunda Divisão: fecha-se o livro do Osasco FC, abre-se o do Ska Brasil em Santana de Parnaíba

Esportes Márcio Silvio

llO Osasco Futebol Clube agora é só história, livro que foi fechado em março. Lançado em dezembro de 1992 com as cores da bandeira municipal, o OFC surgia como representante oficial da cidade no futebol profissional.
Os mais antigos sabem que o Osasco FC surgiu das cinzas do Monte Negro FC, clube com sede no mesmo estádio da Vila Yolanda, zona Sul de Osasco, hoje sob a bandeira do Audax.
O Monte Negro vem de janeiro de 1971 e na vaga deixada pelo Grêmio Água Branca FC e lutou bravamente por três décadas até fechar as portas. No entanto, parte da diretoria decidiu manter o futebol e, assim que o Monte Negro se desfez, esses dirigentes formaram o Osasco Futebol Clube.
Desde então foram dez temporadas na 2ª Divisão e com o melhor resultado em 2017, quarto lugar. No entanto, bem antes disso uma nova página é virada na história do clube.
Estamos em 2010, ano de muitas dificuldades para o futebol de Osasco, tudo no limite do impossível para se manter em campo. Então surge um personagem para mudar o curso – foi via Osasco FC que Mário Teixeira passou a investir no futebol local.
Um dos principais conselheiros do Bradesco, o homem começou a injetar no time e logo abraçaria o Grêmio Esportivo Osasco (fundado em 2007 no lugar do Esporte Clube Osasco) e, posteriormente, surpreenderia ao comprar o Audax.
Ainda sobre a 2ª Divisão, depois de 2017 o Osasco FC passa a ser laboratório de base e se licencia – a última atuação foi em 8 de setembro daquele ano, 3 a 0 para o São Bernardo no Rochdalão.
Hora de voltar para o futuro, 2020, ano que começa sob clima olímpico mas que logo entraria em turbulência com a pandemia congelando o esporte. A Federação Paulista de Futebol anuncia blecaute e todos os clubes vão para quarentena.
Chegando em março e com as discussões sobre o retorno do futebol já bombando, o Osasco FC volta a ser notícia. Então uma marca do grupo Audax, o clube é negociado com o penta Edmílson Moraes, que toca projeto em Santana de Parnaíba.
O Ska Brasil tem investimento de japoneses e agora entra no futebol profissional. A partir do acerto em março, Edmílson vem cuidando de personalizar a nova equipe, ação tipo apito final para o Osasco FC, fim de história, tampa fechada.
A FPF divulgou a temporada da Segundona e a nova equipe de Santana de Parnaíba forma o Grupo 7 com Barcelona da Capital, Mauaense, Jabaquara e Mauá. O Ska Brasil estreia na próxima sexta, 18, contra o Mauaense.
Mas o time do pentacampeão não tem estádio local para a Segundona (isso fica para o ano que vem) e, então, vai usar o mando de jogo do extinto – na próxima sexta tem Ska Brasil x Mauanese, às 15h no Rochdalão. Está fechado o livro do Osasco FC e abre-se o de Santana de Parnaíba.

1 thought on “Segunda Divisão: fecha-se o livro do Osasco FC, abre-se o do Ska Brasil em Santana de Parnaíba

  1. Horrível a maneira positiva e naturalizada como tratam aqui o fim do Osasco FC, como se fosse um pedaço de papel descartável. Que desrespeito.

    Esses dirigentes que fazem tudo SÓ pelo dinheiro, sem um mínimo de amor ao clube, mudam de nome, de cidade… Não há personalidade, não há paixão. A próxima vítima pelo jeito será o Grêmio Osasco… Esse pessoal do Bradesco, como o Mário Teixeira, devem estar lavando uma bela grana com o Audax e o Grêmio Osasco. Pena que a cidade vai ficar sem representante no futebol quando quiserem parar de brincar ou mudar de cidade. Ou quando forem presos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *