Serviço Social: caminhando sempre com a população

Por: Lucas Ravacci

O momento que vivemos é um momento pleno de desafios. É preciso resistir e sonhar. É necessário alimentar sonhos e concretizá-los dia a dia no horizonte de novos tempos: mais humanos, mais justos e mais solidários”. (Marilda Iamamoto).

Nutrindo este sentimento de contínua esperança, quero render minhas mais sinceras homenagens aos (as) Assistentes Sociais em toda a extensão territorial brasileira neste dia 15 de maio, data em que celebramos e reverenciamos o dia da categoria. O nosso dia!

O cartaz comemorativo, criado pelo Conselho Federal de Serviço Social, apresenta importantes elementos e considerações que nos remetem ao cotidiano dos assistentes sociais, destacando-se a inscrição que nos diz “Sempre com a população”.

Mediante esta afirmativa e vivenciando arduamente as batalhas propostas pelo atual cenário de enfrentamento à pandemia, causada pelo vírus COVID-19, observamos a face extremamente profissional e incansável dos assistentes sociais. Estes, por sua vez, não medem esforços e se desdobram para ofertar ininterruptamente os serviços sócioassistenciais, atendimentos técnicos, orientações diversas e as políticas públicas pertinentes a usuários, pacientes, familiares e comunidades inteiras, que vêm sofrendo dolorosamente as consequências deste momento conturbado e, muitas vezes, cruel.

Recentemente, diante deste cenário de crise humanitária de saúde e de suas consequências correlatas, fez-se o reconhecimento e a imprescindibilidade do Serviço Social através das declarações de diferentes pastas governamentais: a categoria foi classificada como serviço essencial, de fundamental importância, à prevalência de direitos sociais e da dignidade humana, convocando e capacitando assistentes sociais de todo o país para prepará-los em prol da execução de trabalhos emergenciais em tempos de crise.

Os (as) assistentes sociais têm se dedicado arduamente às batalhas em todo o país nestes tempos sombrios. Paralelamente às questões de saúde pública e do crescimento de mazelas de ordem sociais, a falta de pluralidade, o sentimento antidemocrático e o aumento expressivo das desigualdades socioeconômicas têm se multiplicado e dificultado ainda mais as vertentes de nosso trabalho.

Ademais, neste panorama que reverbera intransigências, intolerâncias e preconceitos, fecham-se importantes espaços de reflexões críticas, teóricas e políticas. Porém, em meio a essas questões, podemos observar claramente a importância do Serviço Social, consolidando-se cada vez mais como um instrumento edificador de bases sólidas, opondo-se ferrenhamente ao forte autoritarismo antidemocrático, que se espreita e se tornando importante resistência neste momento histórico.

Neste clima reflexivo e não tão festivo, porém não menos importante, ao se comemorar o dia do Assistente Social sob o enfático estandarte “Sempre com a população”, quero conclamá-los a se aliarem sempre à resistência. Não por anarquismo ou por pura oposição, mas por todas as pessoas que necessitam de nossa voz promotora de empoderamento. Que, durante os desafios, que se seguem, permaneçamos fortalecidos como profissionais comprometidos com a população, que necessita de nossos esforços, com os valores de formação crítica, ética, política, técnica e instrumentalizada, visando sempre a defesa incontestável da Democracia e de uma sociedade mais justa e igualitária, respeitando-se para tanto os Direitos e a Dignidade da pessoa humana.

Agradecimentos e felicitações a todos os Assistentes Sociais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here