Sugestão

Colunistas Sem Mordaça

Em virtude dos esforços e investimentos dos governos federal, estaduais e municipais, no combate à pandemia do coronavírus e com as eleições municipais previstas para este ano e que, consumirão muitos recursos da nação, seria interessante que as mesmas fossem adiadas e de preferência para 2022, para que coincidam com as eleições para presidente, governadores, senadores e deputados estaduais e federais. Eleições gerais desde vereador até presidente da República num mesmo ano significa, além de economia, um bem para o país, que ano sim e ano não, se vê envolvido com eleições.

Outro lado
Com as pessoas reclusas em suas casas e só funcionando os serviços essenciais e aqueles necessários à nossa sobrevivência, os acidentes de trânsito com mortos e feridos em nossas vias, além de outros crimes, sofreram uma redução drástica. O inverso da pandemia que causa tantas mortes pelo mundo.

Liberado

Na última sexta-feira, o ex-deputado federal João Paulo Cunha, que ocupou a presidência da Câmara Federal, conseguiu por unanimidade dos ministros, a reabilitação de todos os seus direitos, inclusive os políticos. Com isso, o ex-parlamentar está livre, caso queira, concorrer nas próximas eleições municipais mas segundo pessoas próximas, isto deverá ocorrer apenas nas eleições de 2022.

Realidade
No período da pandemia do coronavírus, muitas empresas de pequeno e médio portes vão quebrar, enquanto que muitas das maiores ficarão mais ricas. O mesmo acontece com países pobres e os países ricos. Os Estados Unidos e a China, por exemplo, com mais recursos para ajudar as empresas em dificuldades, vão ocupar ainda mais os espaços dos países com menos poder financeiro, entre eles, o Brasil. Da mesma forma, as empresas de grande porte, terão como sempre tiveram, maior acesso às linhas de financiamento enquanto que as pequenas ficarão com o pires nas mãos.

Não vai morrer
Ao contrário do que pensam e agem alguns “entendidos”, o jornal impresso a exemplo do que acontece em países do primeiro mundo, principalmente o periódico que é distribuído gratuitamente, ainda tem uma longa missão a ser cumprida. Mesmo minado por alguns experts que só valorizam a mídia digital, vamos sobreviver enquanto tivermos forças e leitores, afinal, se temos os que não gostam, há muitos, felizmente, que apreciam a leitura de um jornal impresso, pois o mesmo contribui para uma maior visão crítica de quem o lê, informando e formando cidadãos.

Solitário
O ato de um secretário municipal de Osasco doando um mês de seu salário à Saúde do município para o combate ao Coronavírus, dá-se a impressão que não sensibilizou outros gestores e nem a classe política, não só de Osasco mas de toda a região. Pelo que sabemos, seu ato não teve repercussão. O que temos observado é o engajamento de muitas empresas privadas, colaborando na luta contra o inimigo invisível que causa mortes, fome, desemprego e outros males por todo o nosso mundo

Remédio
Enquanto não houver uma vacina que nos previna e nos salve do coronavírus, o único remédio para conter esse mal e evitar muito mais mortes é o isolamento social. O contágio é impressionante e pode vir na tosse, no ar, espirro, sola de sapato e até no manuseio de embalagens, entre outros. Nosso bem maior é a vida, vamos evitar mais mortes e sofrimentos com isolamento, cuidados com a higiene pessoal, utilização de máscara e muita responsabilidade com nossos familiares e a comunidade. Vai passar, vamos derrotar esse vírus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *