Uma Sofrida Televisão

E “Essas Mulheres” está terminando na Record. A emissora anunciou “Vitória” (2014/2015) como sua substituta. Novela forte e muito boa. Já tinha falado sobre esta trama. Bruno Ferrari vai ser o ator principal nas duas reprises, “Vitória” e “Bela, a Feia”. Eu adorei a ideia de ver novamente. E queria ver. Só queria.
E para minha surpresa…
A Record mudou de ideia, agora do nada anunciaram “Caminhos do Coração” (2007/2008). Trocaram a reprise. Lamentável, triste, ruim, assustador, horrível. Pobre telespectador.
Aproveitando…
Leio que “Por Amor” (1997/1998) vai ser reprisada pela segunda vez no “Vale a Pena Ver de Novo”, Globo. Foi uma grande novela, gostei. Espero que outras tramas mais antigas sejam reprisadas. Algo que pouco acontece.
Mudando de assunto…
A ótima jornalista Leda Nagle tem um canal no YouTube com boas entrevistas. E o mimimi sempre reclama de um ou outro entrevistado. O canal é dela, ela convida quem bem entender.
Já o jornalismo na tragédia…
Teve de tudo, de coisa boa até coisas bem estranhas. Teve jornalismo bobo e jornalismo cruel. Agora, chato mesmo são horas e horas de transmissão quando já não tem mais assunto.
E o Willian Bonner está usando pouco suas redes sociais. Uma pena. Apesar de que rede social é uma bagunça. Entendo esse distanciamento.
Sabe algo que me deixa feliz?
Ver o crescimento da Rede TV. Emissora demorou para ganhar espaço. Agora vem conseguindo bons feitos. Só precisa deixar de falar de outras televisões. Tem que valorizar sua própria programação.
E o diretor de “A Praça é Nossa”, SBT, Marcelo de Nóbrega, teve um grave problema de saúde e agora está bem e em repouso. Desejo melhoras. E que volte logo. O humorístico é sensacional.
Aquela coisa nada a ver, mas…
Virou moda, sempre surge um sujeito ofendendo uma autoridade em local público. Acho lamentável. Eu sempre tive educação, e jamais vou ofender alguém. Até mesmo político. Eu respeito autoridades.
Até que fazia um tempinho que eu não assistia, mas é sempre muito bom ver o “Todo Seu” do Ronnie Von na Gazeta.
E faz tempo que não falo, mas estou morrendo de saudade do trabalho do José Mayer. Um grande ator que continua fora do ar. O público sofre sem este profissional no ar.
Para fechar…
Só uma manchete que eu escreveria em meu jornal para falar do massacre de Suzano.
“Uma escola chamada Brasil”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here