Vereadora Elsa Oliveira repudia aumento de mais 50% na conta de Energia Elétrica

Capa Política

A vereadora Elsa Oliveira (PODE) protocolou essa semana duas moções de repúdio por conta de aumentos abusivos de serviços básicos utilizados pela população. A primeira é sobre o aumento de 52% da energia elétrica, por conta da tarifa da bandeira vermelha, em vigor no país, e a mais cara para o bolso. “Ainda que o Governo Federal alegue que o aumento se dá por conta da estiagem – a pior em 91 anos – é inadmissível que a população pague o preço pela falta de planejamento energético e de políticas públicas que incentivem fontes renováveis e alternativas à hidrelétricas. Soma-se a isso todo o cenário de instabilidade econômica atual, consequência da pandemia”, justificou.

Elsa também repudiou o aumento de 8,05% nas praças de pedágio, em 18 concessionárias de rodovias no estado de São Paulo. “Outro aumento inadmissível foi o da tarifa do pedágio. Não é possível que continuemos arcando com os custos de tantos impostos e tarifas, já que nosso salário não acompanha esses percentuais”.

Por entender que o momento é extremamente crítico, já que a pandemia causada pelo coronavírus deixou muita gente desempregada e abalou fortemente a economia no país, a vereadora está atenta à essas questões e, no âmbito municipal, também vem tendo iniciativas que contribuem para o equilíbrio do bolso do trabalhador. Uma delas foi o envio do pedido ao Executivo Municipal para ampliação até dezembro para parcelamento de débitos de IPTU referentes a 2020. “Entendo que agora a prioridade é comida no prato. IPTU é necessário para manter os cofres públicos em dia, ainda mais com o aumento do custo da Saúde para o município, mas vamos estudar, juntos, uma saída para que o governo posso ajudar o munícipe sem ser prejudicado também”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *