Viciado em Televisão

Colunistas Márcio Torvano
Já falei sobre, mas preciso repetir.
Gosto de humor político. Política é sempre um bom tema. Mas não é o único. Programa de humor que fica só nesse assunto é chato. Cansativo. Falta criatividade. Por isso admiro mais e mais “A Praça é Nossa”, SBT, e até o antigo “Zorra Total”, Globo. Faziam humor com tudo.
Tão bom ver artista fazendo arte e não reclamando o dia inteiro de político.

Uma coisa que não tem muito a ver, mas preciso falar.

Um clube de futebol contrata um ex-presidiário e o patrocinador deixa de patrocinar. Isso quer dizer que esta empresa não contrata e não dá oportunidade para um ex-presidiário?

Mudando de assunto…

Sou viciado nos vídeos do Nando Reis no YouTube. São ótimos. Só pesquisar.

Já uma discussão esportiva…

Muita gente reclama de veículo de comunicação não citar o nome de um clube (por representar uma marca). O que eu acho?

Cada um decide se fala ou não o nome. Nada contra. Por sinal, toda propaganda é cara. Nem relógio trabalha de graça.

E cada dia eu dou mais risada.

Temos alguns artistas que fazem arte e não precisam ficar de mimimi. São na deles. E agora, quem é do mimimi quer que outros também sejam. Bobo querendo que outro seja bobo. Eu morro e não vejo tudo.

E estava pensando em algo (algumas vezes eu também penso). Lembrei do artista plástico Romero Britto. Mais um brasileiro que sofre por fazer sucesso. No Brasil é assim, fazer sucesso é crime.

O inverso também acontece, gente sem talento quando morre vira gênio.

E só para informar, o Geraldo Luis voltou de férias e já está no ar no “Balanço Geral” da Record. Muito bom!

Leio que Olga Bongiovanni foi demitida da “Rede TV”. Uma pena. Uma profissional que parece ser muito séria. Merece sucesso. Já pensou ela na TV Cultura? Seria interessante.

No mundo dos famosos…

Toda semana tem uma polêmica que não é polêmica. É apenas uma bobagem qualquer.

Uma questão.

Estão acelerando muito “Avenida Brasil”, Globo, ou é impressão minha?

Nesta quinta feira, completou um ano da morte do ator Caio Junqueira. Faz muita falta. Era muito bom. Está no ar em “A Escrava Isaura”, Record. O seu pai, o também falecido Fábio Junqueira, está com ele na trama.

Sabe quando eu vou perder tempo defendendo ou atacando político? Nunca.

E minha saudade vai para…

Valentino Guzzo, a eterna Vovó Mafalda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *