Desiste da candidatura

Colunistas Nilson Martins

O conhecido vereador, por quatro legislaturas, e médico de Osasco, Carlos José Gaspar (DC), que até foi deputado estadual em determinado período. E que no passado tinha o sonho de sair candidato para prefeito em Osasco, está fora do páreo. O ex-militar que abandonou a carreira para se dedicar à medicina e à frente entrar na política local até chegou a ser cotado para ser o vice de um colega de profissão; Dr. Lindoso (Republicanos), mas de última hora foi descartado e trocado por um oficial da PM; Cel Lucena. Até resolveu continuar, mas como candidatura solo e registrou sua chapa como candidato à prefeito.

Vai de Karen

Mas por falta de apoio ele, desde o dia 07 de outubro, não é mais candidato. Com muitas dificuldades para ajuda financeira, Dr. Gaspar resolveu tornar pública sua saída ontem, 15 e, ao que parece, irá coordenar a campanha da filha Karen – ex-vereadora – que tenta voltar ao legislativo osasquense. Uma dúvida paira no ar. A filha é candidata vereadora pelo MDB que apoia a candidatura do prefeito que tenta a reeleição, Rogério Lins (Podemos). Será que haverá apoio ao prefeito também?

Só andando

O Conjunto habitacional Miguel Costa, que conta com 900 apartamentos, está localizado na divisa de Osasco com Carapicuíba. Das 900 famílias podemos afirmar que mais de quatro mil pessoas moram lá. Um grave problema vem sendo enfrentado pela população dentro deste condomínio desde as mudanças. O direito de ir e vir está sendo contrariado pelas proibições de acesso ao local. De um lado temos a CPTM e de outro um quartel do Exército. Não existe como entrar com automóveis e as entregas são feitas fora e bem distante do local. Imagine como fica a entrega do gás para uma mulher sem o marido com filhos pequenos.

UBS e escola no projeto

Mas ao que parece, após muita demanda e empenho por parte da prefeitura de Osasco, um viaduto está sendo levantado desde agosto, o que deve acabar com o sacrifício dos moradores. “Ele sairá da Avenida Marechal Edgar de Oliveira, passando por cima da Autonomistas e da linha CPTM, finalizando dentro do condomínio. O residencial conta com projetos como a instalação de uma UBS e uma escola, além de liberação de uma área comercial”, afirmou o secretário da Habitação de Osasco Claudio Monteiro, garantindo que futuramente será construído mais 500 apartamentos.

Após o café da manhã

As sessões plenárias da Câmara de Osasco têm novo horário. Ainda fechada por motivos da pandemia, um comunicado enviado à imprensa local avisa que as sessões ordinárias agora são às terças-feiras; sempre a partir das 10 horas e seguem no formato de videoconferência, a fim de garantir o distanciamento social como forma de prevenir a transmissão da Covid-19. A transmissão das sessões acontecem sempre ao vivo pela TV Câmara Osasco, nos canais 3 da Net, 7 da Megabit Telecom, e também pelo YouTube e redes sociais do Legislativo osasquense.

Falta pouco, tá logo aí

A campanha eleitoral já está em contagem regressiva. Faltando menos de um mês para o pleito do dia 15 de novembro, sem dúvida resta a todos uma campanha muito quieta e com poucos coadjuvantes gastando a sola de sapato, se levarmos em consideração que são 743 registros para vereadores na cidade de Osasco e 6 para prefeito. As alternâncias são poucas. Como a utilização do famigerado e ensurdecedor carro de som que pode ser usado em carreatas e passeatas com a presença do candidato. O que sobra são: entrega dos famosos santinhos em feiras livres, residências, praças, adesivos em veículos, placas adesivas de tamanho padrão nas residências e uso das redes sociais e muita criatividade.

Para suplentes nada muda

Se agora as eleições proporcionais têm quociente eleitoral – total de votos válidos dividido pela quantidade de cadeiras – somente para aqueles que obtiveram o total do resultado, cabendo às vagas restantes, os mais votados em sequência. Para os suplentes nada mudou. Ou seja, pode assumir um nome com inferioridade de votos, deixando de fora outros com resultados maiores na eleição. Explicando melhor: Um candidato é eleito por ter o partido cumprido o total do quociente, seu suplente (mesmo partido) é um nome com quantidade muito inferior àqueles que ficaram de fora (outros partidos).

Campanha pode, ir à sessão não

O presidente da Câmara de Barueri, Fabião (PSDB), não concorda que vereadores que pertencem ao grupo de risco, não participem das sessões ordinárias. O argumento do parlamentar é que se eles podem ir às ruas fazer campanha para suas reeleições. Para o presidente, ficar dentro do Legislativo é bem mais seguro e praticamente sem riscos. Os afastados: Jânio (MDB), Barrão (PDT), José de Melo (Republicanos) e Zé Baiano (Avante). Em Osasco, são todos. Apenas parte da mesa fica no plenário, o restante é via “Live”, confortavelmente em casa ou no escritório. Nos enganem, que nós “adoramos”.

Renovação sem inovação

Existe realmente uma grande expectativa que haja nas câmaras municipais, das grandes cidades, um novo recorde de renovação nas cadeiras legislativas. Este que vos escreve, acredita que não vai mudar muito. Poucos eleitores se interessam por política. Muito pouco, num grande universo. Em Osasco, as mudanças sempre estão à beira de 40 a 50%. Se chegarmos a 60%, será uma enorme novidade. Desta vez três nomes estão fora do retorno: Dr. Lindoso (Republicanos), Mario Guide (PSB) e Dra. Régia (PDT). Se desses, ainda 10 nomes ficarem de fora, aí sim a população mostrará que está muito atenta à política local.

Juiz indefere candidaturas a vereador

O Partido Solidariedade, de Osasco, teve o pedido de registro de candidatos a vereador indeferido para as eleições de 2020. No entendimento do Juiz Eleitoral da 213ª Zona Eleitoral, Dr. Fernando Guiguet, o partido não apresentou documentação hábil dos dirigentes do Diretório Municipal para que o pedido de registro dos Vereadores fosse aceito. Com isso, caso não haja recurso dessa decisão, 22 candidatos inscritos não poderão concorrer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *