Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Na última coluna da série 18 de Maio venho agradecer a você leitor por acompanhar cada passo desta importante ação. E para você que está lendo minha coluna pela primeira vez gostaria de te explicar o que significa este tema.
O DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES foi instituído a partir da menina Araceli Cabrera Crespo, ela tinha 8 anos quando foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada, no Espírito Santo. A cada hora, 5 casos de violência contra crianças são registrados no país. Cada dia, em média 129 casos de violência psicológica e física, incluindo a sexual, e negligência são reportados ao Disque Denúncia 100. O Conselho Tutelar de Osasco semanalmente se depara com casos de abuso sexual infantil. 1 em cada 5 crianças sofre abuso sexual. Somente 1 em cada 20 casos de abusos é relatado. 87% dos casos acontecem dentro do ambiente familiar ou envolvem pessoas do convívio da criança. O abuso independe da etnia, classe social, cultura e sexo.
Não diferente de Araceli muitas crianças brasileiras sofrem o mesmo terror. Tenho tido experiências que fica até difícil de expressar em palavras, tais sentimentos. Casos como uma criança de 5 anos que foi abusada pelo avô materno aos 3 anos, e repetidamente abusada pelo bisavô de 80 anos aos 5. Casos como de crianças que são abusadas pelo pai, tio, padrasto, irmã e até mesmo pela mãe. Se alguém dissesse – Biondo, que pesada a sua coluna desta semana?! Eu responderia – Pesado são os fardos que essas crianças carregarão por toda a vida sem ter tido a oportunidade de saberem como se defenderem, e, é por isso que tenho feito muitas rodas de conversas e palestrinhas para crianças no intuito de ajudar na identificação dos que as rodeiam. Ensino através de imagens, desenhos e musiquinha a se defenderem… veja que legal para você ensinar aos seus filhos e alunos…
Em ambos os casos é certo que a criança e ou adolescente já passou por grandes traumas e todo tipo de violência, maus tratos, agressões físicas e psicológica, abandono, negligencia e outros. As consequências são traumáticas e o tratamento é imprescindível.
Muitas destas causas ocorrem pela desestrutura, a desvalorização e a falta de planejamento familiar, a banalidade nos meios de comunicação contribuem com o incentivo da sensualidade e a erotização infantil. A cultura por sua vez oferece músicas depravadas, uma educação fria, programas de tv indecentes e os ritos familiares só declinam por isso. A erotização, crianças modelos, fotos sensuais, roupas cada vez mais adultizadas e a moda são quem ditam as regras.
Tente olhar nos olhos de uma criança e encontre dentro deste olhar a ternura misturada com o medo de ser vítima de mais um adulto cruel. Olhe nos olhos de uma criança e encontre sua melhor versão entre os escombros de uma vida desastrosa e infeliz de um pai alcoólatra, drogado e violento, ou de uma mãe negligente ou que decidiu descontar na criança todas as lamurias de sua vida.
O resultado disso é que temos a drogadição dominando as escolas e jogando milhares de jovens num cativeiro emocional, social e psicológico. Temos um alto índice de suicídio, automutilação, 1 a cada 4 adolescentes engravidam em baile funk, crianças de 11 anos gravidas, entre outros.
Infelizmente alguns lerão esta coluna e se emocionarão, mas logo passará. Outros, até concordarão, mas, não farão nada a respeito. Contudo sei que estas palavras entrarão em seu coração e todas as vezes que olharem para seus filhos sorrindo e em segurança irá se lembrar que há muitas crianças sofrendo no mesmo momento, e nesta hora perceberá o tamanho da sua responsabilidade e não conseguirá se silenciar vendo o que acontece ao seu redor. Não quero escrever palavras bonitas, mas sim, uma mensagem que nos deixe desconcertados e muito desconfortáveis. Porque uma criança vítima de maus tratos, de abuso ou de negligencia certamente terá sua infância roubada, e, nunca, e de jeito nenhum, poderemos apagar isso de suas mentes e corações. No entanto creio que uma coisa podemos fazer, e é lutar para minimizar ao máximo estas sequelas, e fazer isso lhes proporcionando um futuro digno e de esperança. Caso você suspeite de que uma criança que esteja sofrendo abuso ou algum tipo de violência psicológica ou física ligue no disk 100 e faça uma denúncia.
Sua identidade será mantida em sigilo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here