Garoto de Barueri é um dos favoritos no Mundial de Jiu-Jitsu que acontece no Ibirapuera

Colunistas Esportes Márcio Silvio

A Confederação Brasileira de Jiu-JItsu Esportivo está tocando o Campeonato Mundial no ginásio do Ibirapuera. Kimonos de toda parte estão no rola desde ontem e em todas categorias e divisões. E na Infantil parte um moleque de Barueri que chega pisando forte e muito bem cotado para a disputa do título. Pisar forte não tem a ver com arrogância porque esse moleque é pura humildade. Acontece que quando ele vai para a luta o papo é outro – no tatame ele é mesmo um monstrão.
Matheus Sousa tem 11 anos, sempre morou em Osasco, mas a família mudou-se para Barueri. Em apenas quatro anos de arte suave, ele coleciona medalhas e títulos estadual, nacional, sul-americano e mundial. Sim, na categoria infantil ele é um gigante e justificando a jovem carreira de sucesso com treinos medonhos e diários. E agora ele está seco para o Mundial, sabe que tem o nome entre os melhores, mas mostra pés no chão. “Minha chave tem onze atletas, conheço todos e são muito bons. Pra chegar à final, no mínimo eu preciso vencer quatro lutas”, explica o moleque.
E quem acompanha os treinos do fera sabe da motivação dele para o Mundial. E Matheus tem uma razão à parte para estar nessa fúria. É que ele vem de meses de preparo insano não apenas para o campeonato de agora mas, também, para o que rolou no último fim de semana no Rio de Janeiro. Matheus foi preparado para o Sul-americano Kids e pronto para a guerra. Acontece que o moleque ficou com muita sede por conta do regime e arriscou tomar água. “Foi um descuido meu, tomei água antes de subir na balança. Eu fui chamado às pressas e não consegui fazer xixi. Não bati o peso por cem gramas a mais”, lamenta.
O preparo para o Mundial tem pegada muito forte e Matheus Sousa está mais que esperto para enfrentar a balança sem qualquer riscos. O campeão é faixa-laranja e vê o jiu-jitsu como profissão até. O sonho dele é ser lutador profissional para fazer e acontecer nos octógonos do MMA. Esse sonho é bancado pelo pai, muito conhecido e respeitado na zona Norte de Osasco como Cláudio do Posto. E o detalhe desse “paitrocinador” é que além de Matheus, ele tem outros dois filhos no jiu, todos competidores – Jonathan também é da categoria infantil, mais o caçulinha Charles.
Na zona Norte de Osasco, Matheus Sousa foi lapidado pelo mestre Cícero Costha nos tatames do Jardim Piratininga e do Jardim Helena Maria; os professores Sandrão Eduardo, Bruno Felipe e André João são outros nomes importantes na formação do pequeno guerreiro/ mas o início de Matheus no jiu foi com o mestre Aloysio Figueiredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *