Juliana, a idealizadora do Dama de Copas

Correio 2 Destaque

Era para ser um simples grupo de diário pessoal no Facebook, mas viralizou para milhares de pessoas que se identificaram com a autora. O Dama de Copas nasceu há 4 anos e hoje possui mais de 92 mil mulheres.
Sendo assim, precisamos falar dessa mulher corajosa, que fez da sua história, uma reviravolta de lutas e determinação.

Juliana Kohan é filha de pais separados e foi criada na casa dos avós maternos, em São Paulo. Não teve contato com o pai na infância e tinha medo de falar sobre, para não magoar a mãe. Sua infância e adolescência foi regada de amigos, namorados, relações saudáveis e divertidas. Cresceu passando praticamente todas as férias em praias do Guarujá. Mas foi obrigada a se mudar para Curitiba, quando a mãe se casou novamente.

Quando completou 18 anos, voltou a morar com os avós em São Paulo, porém, infelizmente seu avô faleceu no mesmo ano. Nessa época, ela reencontrou um garoto do prédio onde ela passava as férias quando criança e acreditou ser um sinal do destino.

A relação durou uns 10 anos, porém, passou longe de uma vida feliz. “No começo, ele parecia o melhor namorado do mundo. Ele me manipulava de forma tão sútil, que apesar de sentir que havia algo errado, eu não conseguia distinguir o que era. Depois de tudo o que passei, descobri o nome que utilizam para definir essa situação: GASLIGHTING.”

Gaslighting

O termo é definido como forma de abuso psicológico no qual informações são distorcidas pelo abusador. A intenção é fazer a vítima duvidar de sua própria memória e sanidade. O manipulador desorienta a vítima, tirando sua credibilidade psicológica e moral.

Seu cachorro foi espancado no primeiro dia

A dona do Copas relata que o namorado fingia gostar do seu (finado) cachorro no início do namoro, mas quando foram morar juntos, já no primeiro dia, o bichinho foi espancado por não poder ficar no quarto ou na cama, como antes era permitido. “Incrédula, fiquei com meu cachorro no sofá da sala, já que ele não podia entrar no quarto. E lá dormi por 10 anos. Até hoje não sei o motivo de eu não ter separado dele no mesmo dia, mas tudo era tão surreal, que ele conseguia me fazer acreditar que eu estava errada e era minha culpa.”


Juliana entrou num quadro depressivo, perdendo a alegria e a leveza com que levava a vida. Abandonou o trabalho como farmacêutica bioquímica, e aceitou a vida submissa que o parceiro tanto sugeria a ela. “Eu te dou o que você ganha no seu emprego, para você ser apenas minha mulher e ficar no clube.”

Ela aceitou, e no início podia comprar tudo o que queria e frequentar lugares que nunca foi. Mas com o tempo foi perdendo sua autonomia financeira, a ponto de implorar dinheiro para comer e o abusador jogar vinte reais no chão, como se ela fosse um bicho. Além das ofensas a sua aparência, corpo e intimidade. “Ele dizia que eu era feia, gorda e horrorosa todos os dias. Que eu não era merecedora nem de ter uma vida sexual, que eu era mais nojenta que um monstro. Cheguei no ponto de precisar de autorização até para ir ao banheiro, e caso ele não desse, eu não iria. Já fiz xixi no sofá, porque ele tinha um prazer sádico de “deixar ou não”.

Juliana conseguiu se livrar do relacionamento com o apoio virtual de um primo, ao qual ela se encantou por seu afeto e carinho. Pensando em registrar tudo o que viveu, para que sua filha lesse no futuro, caso acontecesse algo com ela, Juliana criou um grupo no Facebook. O que ela não esperava é que ele tomasse uma proporção enorme, unindo mulheres com todo tipo de história. O Dama de Copas é um grupo em que as mulheres se apoiam, desabafam, empreendem, sonham e brigam também, normal.

Juliana em palestra sobre Violência Doméstica

“Eu não imaginava era que o Copas cresceria tanto e que eu seria tão acolhida. Fui chamada para dar algumas palestras e mesmo com muito, muito medo, eu escolhi que não seria mais vítima. E descobri que quanto mais eu me expunha e mais vulnerável eu parecia, mais forte eu me tornava. Ninguém é indestrutível, e com certeza, enfrentar os nossos medos nos dá uma força descomunal. Quanto mais eu falo sobre, mais mulheres se identificam e se sentem amparadas para lutar.”

Muitas amizades foram feitas através do grupo, muitas ações voluntárias e beneficentes são levantadas e realizadas com as participantes. O que era um simples diário de uma sobrevivente, se tornou uma multidão de força e sororidade.

Sororidade

Relação de irmandade, união, afeto ou amizade entre mulheres, assemelhando-se àquela estabelecida entre irmãs. União de mulheres que compartilham os mesmos ideais e propósitos, normalmente de teor feminista, sendo caracterizada pelo apoio mútuo evidenciado entre essas mulheres.


Juliana e seu novo amor

Há dois anos, Juliana conheceu o amor de sua vida, num aplicativo de relacionamento, e está mais feliz do que nunca. “O amor é paciente e benigno, não arde em ciúmes; […] O amor não é rude nem egoísta, não se exaspera e não se ressente do mal.”

21 thoughts on “Juliana, a idealizadora do Dama de Copas

  1. Fui add por uma amiga nesse grupo quando tinha apenas 68 mulheres, vi o seu crescimento e tive o imenso prazer de conhecer a Ju, tenho um carinho imenso, pois vi o quanto ela é transparente em tudo que faz, mesmo com algumas situações que aconteceu no grupo ela sempre deu a volta por cima e mostrou sua verdade! Obrigado por esse grupo maravilhoso que nos deu!

  2. A mulher mais forte que já conheci, sua garra, fibra e honestidade fazem de você a vencedora que é, sua luta é nossa luta. #juntassomosmaisfortes

  3. Agradeço a Deus e a você, por ter criado o grupo.
    Ali descobri, que eu não era única a ter sofrido no casamento, e aprendi que poderia sim, mudar minha vida.
    Sem contar que o Copas é quase uma escola da vida, pois ali aprendemos a ouvir, falar sem agredir e a conviver entre tantas diferenças, sem perder o amor para com o próximo.
    “Na essência somos iguais, e nas diferenças nos respeitamos. – Santo Agostinho”

  4. Faço parte do Copas a bom tempo e mesmo não conhecen do a Ju pessoalmente gosto demais dela. Ela não tem medo de se expor, é franca em suas opiniões mesmo sabendo que pode receber palavras duras como retorno.
    Admiro a força e a coragem e torço muito pra que ela seja feliz e realizada.
    Muito merecida essa matéria.

  5. Uma mulher forte generosa justa. Fez do seu sofrimento uma luta em prol de ajudar outras mulheres a sobreviverem…serem felizes e se aceitarem com amor. Parabéns Ju.

  6. E lindo ver como vc superou tdo isso, e hoje si tornou uma mulher q encentiva coragem em outras mulheres, parabens Juliana vc e uma mulher incrivel !

  7. Juuuuu toda a sorte de bençãos na sua vida! O Dama de Copas é a sua cara, a nossa cara! Obrigada por ajudar tantas mulheres que viveram e ainda vivem relações abusivas! Não faço parte dessa porcentagem, mas sou mulher e aprendo muito em cada post de todas q participam! Sou fã assumida e brigo como uma leoa pra defender quem eu acredito!

  8. Seria interessante podermos ouvir a versão do seu Ex marido , pois até agora ouvimos somente sua versão dos acontecimentos.Será verdade todas estas suas acusaçoes?Será que você não estaria inventando esta história para se promover e se eleger?

    1. Será que podemos acreditar nesta candidata!!??
      Coloquei o nome dela no Google e aparecem varios processos no nome dela.

  9. Ju a sua verdade eh linda e já ajudou muitas mulheres, vc está no caminho certo, independe do que outras pessoas podem dizer ou pensar sobre vc e sua vida oq importa eh oq vc transmite não oq vão achar disso, parabéns, e se querem saber a versão do seu ex apresenta elas à ele para que tirem suas próprias conclusões.

  10. A Jú é uma pessoa vencedora, que cuida de todos que estão por dela. Estou no copas a quase 4 anos. No ano passado, mesmo sem ter muito contato ela me ofereceu ajuda em um momento muito difícil, ela me deu o que não tive de pessoas mais próximas…
    Sou eternamente grata, merece tudo de maravilhoso na sua vida!!!!

  11. Eu conheço a Juliana apenas virtualmente. Além do Damas de Copas, nós estamos em alguns grupos sobre política também. Isso foi suficiente para que eu sentisse um extremo alívio quando soube de sua candidatura! Finalmente, tenho alguém de confiança em quem votar!
    Mais difícil do que passar pelo que ela passou, é ser quem ela é. Pois da mesma forma que desperta empatia, desperta também o que há de pior em algumas pessoas, em especial mulheres que não sabem o significado de parceria, de apoio, de irmandade e de SORORIDADE.
    Sorte de quem tem a Juliana de alguma forma, mesmo que não participe da vida diária dela!

  12. sinceramente acho todas vocês umas grande baba ovo desta candidata.
    Não sei porque mas ela não me engana.
    Eu Tenho um sexto sentido que me diz que coisa boa ela não é!!!

  13. A Ju é uma pessoa verdadeira e de bom coração!!
    Todas q entram no Copas são bem recebidas e acolhidas!!!
    Eu fui!!
    Tenho orgulho de ser do Copas e de confiar na Ju!!!

  14. Ju, estou no Damas de Copas uns 3 anos,conheço um pouco da sua história,não te conheço pessoalmente más te admiro,sua garra e sua força vão te levar a Vitória!!!

  15. Estou no Copas há uns 4 anos… Aos poucos conheci a história da Juliana e ela me conquistou… O Copas é um porto seguro sentimental pra nós… A história de uma pode motivar muitas outras. A força da Ju nos impulsiona a seguir em frente, a não desistir. Agora que é candidata a vereadora, ganhando, tenho certeza absoluta que fará a diferença na luta pelas mulheres e em muitas outras justas causas.

  16. Participo do Grupo há anos e gosto muito do posicionamento da Juliana. Mulher guerreira e que serve de inspiração para muitas! Parabéns pela matéria!

  17. Estou no copas uns tres anos!
    Tive o privilégio de conhecer a Ju, pessoalmente.
    Foi o dia mais especial da minha vida, pois conheci sua tragetoria, nesses poucos anos e percebi a mulher forte, determinada e com um coração imenso, mesmo naqueles dias que está no chão; ela consegue limpar a poeira, levantar-se e dar apoio a quem precisa! E conhece-la pessoalmente, foi mágico! Agora sim, tinha uma pessoa de carne e osso, de verdade e não mais virtual!
    Adoro a Ju e seu jeito, meio doidinha, mas ao mesmo tempo, super transparente! E isso me fascina!

  18. Faço parte do grupo há uns 4 anos, sou da Bahia e não conheço a Ju pessoalmente, mas sua história e de tantas no grupo é verdadeira, vc chora ao ouvir.
    O grupo é hilário, de apoio, de amizades, de tratas, maravilhoso, podemos ser mulheres realmente.
    Parabéns pela superação e o melhor ajudar tantas a se superarem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *