Lins consegue liberação do Miguel Costa

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sehdu), em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF), deu início na quinta-feira, 28, no auditório do Fundo Social de Solidariedade, às assinaturas dos contratos da casa própria dos moradores do Conjunto Habitacional Miguel Costa.
Com a assinatura dos contratos, as primeiras 674 famílias, das etapas 1 e 2, poderão mudar já na primeira semana de julho. A mudança depende de alguns ajustes e acordos entre Prefeitura, CPTM e União.
A liberação dos contratos é resultado da decisão da Justiça Federal, que aceitou o pedido de liminar, feito em abril pela Prefeitura de Osasco, Ministério Público e Defensoria Pública da União, e determinou que a Caixa firmasse o contrato de entrega das 960 unidades habitacionais aos futuros proprietários do Conjunto Miguel Costa.
O prefeito Rogério Lins tão logo soube da decisão judicial no dia 18 de junho, acionou a CEF e a equipe técnica do governo para organizar os trâmites do processo de assinatura de contrato e anunciar a boa notícia aos moradores. “É com imensa alegria que vejo esse sonho ser realizado. Agradeço imensamente os moradores por terem sido pacientes e acreditarem em nosso trabalho. Hoje estamos aqui reunidos vendo essas assinaturas acontecerem”, comentou Lins, emocionado. O acesso ao Conjunto Habitacional Miguel Costa, entrave que impediu a ocupação do empreendimento desde que foi concluído em novembro do ano passado, se dará pelo acesso de nível, passando sobre a linha da CPTM e em frente ao Quartel do Exército, em Quitaúna.
Os moradores também terão duas passarelas: uma na estação de trem de Quitaúna e outra no Km 21.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here